Tudo novo na neve! A Clara morou por seis meses na Suécia. Além de conhecer um país novo, ela aprendeu um idioma e também a esquiar! Vem ler a história dela

Texto Carolina Porne

Estocolmo, Suécia

Foto: Shutterstock

FICHA DE VIAGEM
A VIAJANTE: Clara D’ávila Di Ciero, 16 anos
ORIGEM: Fortaleza, CE
DESTINO: Estocolmo, Suécia
DURAÇÃO DA VIAGEM: seis meses

“Morei por seis meses em Estocolmo, na Suécia, mas acabei conhecendo um novo país antes mesmo de chegar ao meu destino final; precisei fazer uma conexão em Lisboa, onde passei 20 horas. Claro que aproveitei para conhecer o lugar. Horas mais tarde, fui recebida no aeroporto pelos integrantes da família que eu passaria a integrar. Minha irmãzinha de 5 anos fez questão de desenhar um cartaz com o meu nome para que eu os identificasse. Logo me senti acolhida! Na primeira semana, tudo era novidade. Já na noite da minha chegada circulamos por Estocolmo; o transporte público é eficiente, circula com regularidade e o preço é acessível. Também andei muito a pé e de bicicleta, uma maneira inacrê de conhecer a cidade. Na escola, o ensino médio divide-se em dois ramos: economia e ciências – onde fui colocada. Para os estrangeiros, há disponibilidade de aulas extras de sueco. No grupo das ciências, as turmas são divididas entre ‘natur’ (natureza), ‘djurkunskap’ (conhecimento de animais) e ‘adventure’ (aventura). Fiz parte da turma adventure. Recebi treinamento de primeiros socorros, salvamento e escalada. Geralmente, os suecos começam a trabalhar na adolescência. Eles aproveitam os feriados para ganhar e economizar dinheiro.

O povo sueco é reservado e muito educado. Um aperto de mão é como eles estabelecem o primeiro contato. E o abraço é dado em pessoas que já se conhecem. Dentro de casa, só se anda sem sapatos. Eles adoram se encontrar para a ‘fika’, que é tipo um lanche da tarde. Uma vantagem de estar em um lugar pequeno é fazer uma viagem de carro para conhecer tudo. Conheci Borgafjäll, uma cidade turística para esqui; depois de algumas lições, posso dizer que não sou mais uma iniciante. Em Linköping, pilotei um Gripen (caça adquirido pela Força Aérea Brasileira) em um simulador fantástico! Também tive a sorte de conhecer Umeå, onde moram os pais do meu host father (pai da família que me recebeu). Na viagem para Uppsala, o centro universitário mais importante da Suécia, conheci um pouco mais sobre os vikings e a história do país. Também aproveitei para acompanhar cerimônias envolvendo a realeza – a forma de governo é a monarquia  constitucional, ou seja, existe um rei. Resumindo: posso dizer que a Suécia foi uma ótima escolha! Os encantos se revelaram com o passar do tempo e tenho certeza que ficarão gravados eternamente em minha memória.”

As coisas mais legais

Fazer amigos da Suécia e do mundo inteiro. Aproveitar as particularidades de cada estação do ano. Morar, andar e viver em uma cidade turística. Viajar e conhecer muito além da Suécia (além de Portugal, também visitei a Finlândia).

... e uma coisa chata

A língua. Não saber falar sueco atrapalhou no começo, por mais que as pessoas falassem inglês.