Você sempre reclama do corpo e daquela gordurinha ali e aqui? Saiba como é importante ter autoestima e o quanto ela faz bem para você!


Tem garota que consegue se achar o máximo sem fazer nenhum esforço. Mas elas são minoria. A maior parte das adolescentes passa anos da vida brigando com o espelho. E isso tem uma explicação, claro. “A adolescência é o período de transição entre a infância e a vida adulta e, nesse meio tempo, o corpo passa por transformações muito rápidas, que é impossível conseguir acompanhar. É como se a gente se visse naquela imagem refletida, mas não conseguisse se reconhecer”, explica o psicanalista Ernesto Duvidovich.

É ele quem esclarece que a maneira como vemos a nós mesmas quase nunca corresponde à realidade. “Há um componente de imaginação, de fantasia, que é fortemente influenciado pela maneira como fomos olhados na infância”, conta. De qualquer forma, se a imagem que a gente vê é extremamente negativa e se temos dificuldade para mudar isso, é fundamental pedir ajuda.

Conversar com amigos em quem confie ou mesmo com um profissional vai fazer toda a diferença. “Se a adolescente começar a evitar sair de casa por causa da aparência, se ficar triste a ponto de não ter vontade nem de tocar seus projetos pessoais – e começar a ir mal na escola, por exemplo –, é sinal de que está precisando ser ouvida e orientada.

Outro aviso de que as coisas vão mal é o fato de a garota não se encontrar em grupo nenhum, e se achar diferente dos amigos o tempo todo”, adverte Márcia.


Cinco mandamentos da boa autoestima

Se precisar, repita todos os dias. Ou, pelo menos, até se convencer do quanto você é especial.

1 Vou descobrir meus pontos positivos, pois, com certeza, tenho muito mais qualidades do que defeitos.

2 Aprenderei a valorizar o que tenho de bom, em vez de ficar me culpando e sofrendo pelas coisas de que não gosto, em mim – e que não conseguirei mudar.

3 Algumas pessoas podem até tentar me colocar pra baixo. Mas me lembrarei, sempre, de que os meus verdadeiros amigos me aceitam e me amam exatamente como eu sou.

4 Não vou mais perder tempo me comparando a garotas que eu considero bonitas. Afinal, nunca serei como elas, já que tenho a minha própria beleza e personalidade.

5 A opinião sobre mim mesma é mais importante do que a opinião de qualquer outra pessoa.

Consultoria: Márcia Ferreira, psicóloga.
Ernesto Duvidovich, psicanalista
(www.centropsicanalise.com.br).