Pode parecer normal, mas ainda tem muita menina que acha isso estranho. Quer ver?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Muitas das minhas amizades começaram pela internet. Como sou fã de 1D e Justin Bieber, acabo falando com outras pessoas que também são. Algumas eu consegui conhecer ao vivo, já outras moram longe. Acho meio estranho namorar alguém apenas pela internet, gosto de ter alguém por perto e não só on-line, mas não acho impossível de acontecer." - J.S., 17 anos, Niterói - RJ

A facilidade de acesso da internet torna as relações mais intensas, pois se está conectado a qualquer momento. Além disso, sem o contato visual, sem o contexto real, as pessoas são o que muitas vezes não conseguem ser em seus círculos sociais e se permitem fantasiar muito mais. Muitos tímidos têm menos dificuldade de se expor no mundo virtual, porque ali há mais liberdade para serem o que quiserem sem um julgamento direto do outro ou do grupo. Por meio de aplicativos e redes sociais as pessoas se sentem mais confortáveis em ultrapassar limites, em experimentar coisas novas, em desabafar e muitas outras coisas que não fariam na vida real.

Por Mariana Iannuzzi – Coaching e consultora de imagem.

E agora? Como agir em uma situação dessa?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Uma das minhas melhores amigas foi morar em outra cidade. Além de me deixar aqui, ela deixou também o namorado dela. Isso já faz uns quatro meses e ela ainda não veio nos visitar! O problema é que eu percebi que ele tem me olhado na aula. Nós nos aproximamos muito, acabamos ficando amigos. Só que eu me apeguei demais e agora estou gostando dele. Sei que ele também está gostando de mim. Não tenho coragem de pedir para ele terminar com minha amiga, mas não quero me afastar dele... O que eu faço?” - M.B., 13 anos, Rio de Janeiro - RJ

M., essa situação pede paciência e delicadeza. Você e o namorado da sua amiga compartilharam o afastamento e a saudade de uma pessoa especial, então é natural que essa proximidade entre os dois tenha gerado outros tipos de afeto. No entanto, o fato é que ele ainda está namorando e precisa resolver como será o futuro dessa relação antes de começar outra. Uma dica é aproveitar a proximidade entre vocês e perguntar para os dois se eles vão continuar namorando apesar da distância. Assim, você pode decidir melhor o que fazer sem se expor tanto e preservando as amizades.

OMG! O que fazer em uma situação como essa?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Voltei de uma viagem que durou as férias inteiras, cheguei até a matar o primeiro dia de aula. E, quando chego, pego meu namorado beijando a minha amiga! E pior, todos os nossos amigos sabiam e não me contaram nada. Me senti traída, não só pelo meu ex, mas por todos. Quero deixar isso pra trás, mas é difícil, pois preciso conviver com eles todos os dias. O pior é que meu ex fica me mandando mensagem pra saber se eu tô bem! O que eu faço? Quero fugir do mundo inteiro e me enterrar no meu quarto!” - M.W., 14 anos

M., realmente é uma situação chata, mas se isolar dos seus amigos não é a melhor saída. Saber de uma traição, ainda mais entre pessoas do mesmo grupo, não é uma situação fácil. Tente se colocar no lugar deles e você vai perceber que ter esse tipo de conversa exige muito cuidado. A situação é diferente com o seu ex-namorado e a sua amiga, já que são as duas pessoas que de fato traíram a sua confiança e com quem você precisa conversar quando achar que é o momento certo. A melhor política é a honestidade. Enquanto esse momento não chega, lembre-se que você não fez nada errado e não há motivo para se esconder, ok?

Saiba como lidar com essa paixonite!

Ilustração: Isabela Santos

Ilustração: Isabela Santos

“Eu gosto de um garoto, só que eu não sei o que fazer, porque ele é galinha e já ficou com uma colega minha. Eu quero muito esquecê-lo, porque eu sei que não vai rolar nada e ficar me iludindo só vai piorar minha situação, mas o problema é como eu faço isso? Tenho medo de ficar com ele e ser só mais uma...” - D.D., 14 anos - Porto Alegre – RS

D., parece que é melhor mesmo esquecer esse menino, já que vocês querem coisas muito diferentes. Ficar com ele pensando que ele mudaria com o tempo é um plano feito para dar errado. Não existe fórmula pronta para deixar de gostar de alguém, mas dedicar a sua atenção a outras coisas que você goste pode ajudar. Sempre que se pegar pensando nele, faça algo para se distrair, procure conversar com outras pessoas e pedir o apoio das amigas. Nesses casos, o tempo é o melhor remédio. Assim, você também abre espaço para conhecer outro gatinho.

A Atrê te ajuda nesse momento tão importante da adolescência

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Tenho 16 anos e sou BV. Estou gostando de um menino e sei que ele também gosta de mim. Nós estamos pra sair com alguns amigos nossos. E eu sei que ele vai pedir para ficar comigo, só que eu tenho medo de fazer alguma coisa errada, ou sei lá... Vai rolar naturalmente? Eu vou saber como beijar?” - I.A., (16 anos), Santos – SP

É muito natural ficar ansiosa com o primeiro beijo, mas a grande dica é não ter pressa e deixar o momento acontecer naturalmente. Sempre vale uma preparação antes do beijo para você se sentir mais segura, então escove bem os dentes e tenha algumas balinhas por perto só para garantir. O principal você já tem: um menino que você gosta e que gosta de você! Caso ele seja mais experiente, basta seguir o ritmo dele. Se ele também for BV, então vocês dois estão no mesmo barco e ele vai sentir o mesmo nervosismo. Não se preocupe em beijar com perfeição porque o mais importante é aproveitar o momento e as suas sensações.

Será que os garotos perdoariam numa boa uma traição?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Fui a uma festa com minhas amigas e acabei ficando com outro cara. Alguns amigos do meu namorado também estavam lá, viram tudo e contaram para ele. Estou superarrependida, amo muito o meu namorado e o outro garoto não significa nada pra mim. Será que ele consegue me perdoar?” - G.C., 17 anos, Fortaleza – CE

TALVEZ
“Depende muito da situação. É bem complicado. Gosto muito da minha namorada, mas, se acontecesse uma traição, eu provavelmente ficaria mal e pediria um tempo. Pensaria em como foi essa situação, se ela estava em sã consciência, se gostava do cara. Levaria vários fatores em consideração. Com certeza não acabaria no momento, daria um tempo para analisar tudo.” - Kauê Vettorazzo Pigozzi, 15 anos

SIM
“Acho que sim. Perdoaria porque gosto muito da minha namorada. Às vezes a culpa nem foi tanto dela, um cara pode tê-la agarrado, essas coisas acontecem. Pensaria bem, daria uma chance." - Guilherme Grieco Paglioli, 15 anos

RESPOSTA DO FAMOSO
“Traição é um assunto complicado. Dependendo do caso, acho que perdoaria. Todo mundo já errou e todo mundo erra. Claro que, se fosse uma coisa muito tensa na minha vida, ficaria complicado. Mas às vezes as traições são muito piores com amigos do que com uma namorada. Mas acho que sempre dá para perdoar, todo mundo merece uma segunda chance.” - Emilio Eric, ator

Assim como Ian Somerhalder e Nina Dobrev, você também manteria uma relação de amizade com seu ex?

Foto: Divulgação

Mesmo depois de terminarem, Ian Somerhalder e Nina Dobrev continuaram amigos
Foto: Divulgação

“Depois de dois meses de namoro ele quis terminar. Só que agora ele quer ser meu amigo. Eu não consigo achar normal ser amiga dele porque eu ainda o amo. Às vezes ele resolve me falar sobre as meninas com quem está saindo, e eu quero morrer! Como eu falo pra ele que não quero ser amiga sem que ele não queira mais me ver?” - F.F., 14 anos - Maceió – AL

F., você tem algumas decisões a tomar. A primeira é saber se deseja ou não ser amiga do seu ex-namorado. Não dá para recusar a amizade e querer que ele continue por perto. A segunda é sobre o tipo de amizade que você quer ter. É bastante natural impor alguns limites quando não nos sentimos confortáveis. Assim, pedir que ele não comente sobre outras meninas com você é algo que um verdadeiro amigo respeitaria. Pode ser difícil, mas a melhor maneira de saber qual é o futuro da relação de vocês é conversando a respeito. E é melhor do que viver fantasiando ou sofrendo enquanto ele continua por perto.

Errar é humano. Mas repetir a mancada você já sabe o que é... E isso também vale para os relacionamentos. Então, se o seu acabou e o ex partiu sem deixar saudade, é bom tentar aprender com o que passou, pra fazer diferente na próxima

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Depois de botar um ponto-final no namoro, ou rolinho, é pra lá de normal ficar irritada, brava, chateada ou até mesmo sair falando em alto e bom som, pra quem quiser ouvir, o quanto odeia seu ex, por todo o sofrimento que ele lhe causou. Mas quando o pior passar, vale pensar em tudo o que essa decepção amorosa lhe ensinou, pra fazer completamente diferente assim que um novo amor chegar. Daí, se você analisar bem, vai ver que o ditado “até um pé na bunda te leva pra frente” faz sentido!

 “Aprendi a não agir por impulso”

O seu erro: você vivia brigando por bobagens, explodia por tudo e por nada sempre que o garoto não agia de acordo com a sua vontade.

O que fazer agora: a melhor forma de fugir dessas ciladas é respirar fundo e aprender a contar até dez antes de tomar qualquer decisão. “Antes de agir, pense nas consequências que seu ato pode causar e se vale mesmo a pena criar discussão”, alerta a psicopedagoga Quezia Bombonatto. É claro que isso é um treino e você vai aprender com a prática. Ainda assim, se não conseguir segurar a onda vez ou outra, pelo menos reconheça que perdeu a cabeça e peça desculpas. Só não vale querer ter sempre razão, até quando tá na cara que fez a maior besteira.

“Aprendi a dar mais valor a um relacionamento”

O seu erro: pintou outro cara lindo e você foi logo beijando, como se não houvesse amanhã. Mas essa escapadinha foi o suficiente pra acabar com a sua ficada séria.

O que fazer agora: primeiro pense nos motivos que a levaram a ficar com outro menino. Pode ser que descubra que o seu rolo já não estava mais aquelas coisas e que ficar com outro foi um jeito que você arrumou de sacudir a rotina ou de chamar a atenção. Você só não esperava um final tão infeliz. Daí, se o seu próximo relacionamento também entrar em crise, talvez seja melhor pensar em uma conversa aberta, sincera, pra discutir com o garoto o que é que precisa mudar. Porém, se mesmo assim você perceber que está prestes a cair em tentação novamente, mude o desfecho da história. “Diga ao menino que quer dar um tempo. Assim, você não se sentirá culpada nem ele traído”, ensina a psicopedagoga Maria Teresa Andion.

“Aprendi a controlar o meu ciúme”

O seu erro: você achava que o garoto era propriedade exclusiva, se pudesse até colocava plaquinha. Virava uma fera ao ver um comentário qualquer do menino na página do Face de uma garota, chegava a discutir com a melhor amiga dele por puro ciúme e até tentou proibir o ex de dar um “oi” para aquela periguete da sala dele.

O que fazer agora: a primeira coisa é entender que, por mais que você tente controlar todos os passos de um garoto, jamais vai conseguir se proteger totalmente de uma traição. Aliás, a melhor forma de passar longe desse drama é construir um relacionamento feliz, saudável, sem cobranças, em que cada um tem seu próprio espaço. Para viver na boa com um cara, outra coisa importante é aprender a gostar mais de si mesma, entendendo que o menino sempre está com você por opção, porque escolheu a sua companhia. No mais, se o garoto começar a dar motivos pra você ficar roxa de raiva, coloque limites desde o início, sem medo de perdê-lo. Afinal, pra que levar adiante uma história que está trazendo só dor de cabeça e infelicidade? Pensa!

Será que você pode se apaixonar pelo gatinho que mora longe?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Tenho 12 anos e conheci pela internet um garoto da mesma idade. Eu me apaixonei por ele e ele por mim (pelo menos, demonstrou isso). Ele mora em outro Estado e eu não sei como contar para minha mãe, por medo de ela brigar comigo. O que eu devo fazer? Eu realmente o amo! - A. M. S., por e-mail

A primeira coisa a fazer é conhecer melhor esse garoto. Namoro pela internet pode ser uma coisa bem legal, mas também pode ser uma roubada. Muitas pessoas mentem pela web e você tem de ficar atenta para não ser feita de boba. Você já conversou pelo Skype com o garoto? Bater papo pela câmera pode ser uma boa ideia para conhecê-lo melhor, percebendo “olho no olho” se ele é do bem. Sobre a sua mãe, converse com ela e diga o que está acontecendo e sentindo. Ela poderá ajudá-la a viver esse momento da melhor maneira possível. 

Será que o namoro à distância vale a pena?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Meus pais me deram de presente um intercâmbio de seis meses nos EUA. Fiquei muito animada, lógico, mas estou com um problemão: namoro há um ano e não sei como falar sobre esse assunto com meu namorado. Quero muito ir, mas acho que ele não vai lidar bem com isso. Os meninos aceitam numa boa que a namorada faça intercâmbio?” - B. L., (16 anos), Ribeirão Preto – SP 

RESPOSTAS:

“Eu aceito numa boa, sim. Mas depende de quanto tempo a minha namorada fosse ficar fora. Se for um intercâmbio de mais de dois meses, acho melhor terminar o relacionamento, senão os dois ficam sofrendo. Pensaria em dar um tempo no relacionamento, porque eu acho que namorar à distância não dá certo.” - Lucas Lofreta, 15 anos

“Estudar fora vai ser uma chance única na vida dela, então eu apoiaria. Mas eu provavelmente daria um tempo no namoro. Continuaria a conversar com ela e, quando ela voltasse para o Brasil, veríamos o que fazer com o relacionamento.” - Francisco Loschiavo, 15 anos 

“Com certeza! Eu confio nela e acredito que ela não faria nada que comprometesse nosso relacionamento durante esse período. Aceitaria qualquer tempo de intercâmbio, numa boa, e nosso namoro continuaria da mesma forma.”  - Guilherme Grieco Paglioli, 15 anos

Nada de ficar encanada, combinado?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Eu gostava de um garoto da minha rua, nós ficamos e eu pedi pra minha BFF perguntar se ele gostou do meu beijo. A resposta dele foi que eu beijava mal. A partir daí, passei a ter muita vergonha de ficar com outros garotos. Agora, eu estou a fim de um gato e ele já até pediu pra ficar comigo, mas eu não aceitei porque tenho medo de ele me zoar por que eu beijo mal. Eu fico ou não com ele? - D.F.S., São Paulo, SP

Beijar bem ou beijar mal, eis a questão! Na adolescência é normal se preocupar (e muito!) com isso. Mas o que é um beijo bom? Faça o teste. Saia por aí perguntando para as suas amigas, por exemplo, o que, na visão delas, significa beijar bem. Se você tiver o cuidado de fazer essa pergunta individualmente, verá que existem tantas respostas quanto o número de amigas para o qual você perguntará. Isso significa que cada um prefere de um jeito. Não existe certo e errado. Há gosto para tudo. Nesse sentido, talvez o melhor beijo seja aquele que trocamos com quem tem as mesmas preferências que nós. Mas como descobrir nosso “par ideal” de beijo? Experimentando, ora! Por isso, desencane! Se a química não rolou com um garoto não significa que não possa rolar com outro.

Saiba o que nossa especialista respondeu!

“Eu estava namorando um garoto, mas tivemos alguns problemas e terminamos. Desde então eu tô me sentindo muito sozinha, porque sinto falta da companhia de alguém. E quase todas as minhas amigas estão namorando, então, fico deslocada e não sei o que faço para seguir em frente e conhecer outras pessoas. Alguma dica?” - A.L., (16 anos), João Pessoa – PB

Ilustração: Isabela Santos

Ilustração: Isabela Santos

A., esse sentimento é esperado quando um relacionamento termina, mas estar solteira também tem suas vantagens. Não adianta sair com qualquer um apenas para não ficar sozinha, e ninguém gosta de sempre ser a vela nos encontros dos outros. Estar sozinha é uma chance de olhar ao redor e perceber as pessoas legais que estão por perto e que, pelos mais variados motivos, ainda não fazem parte das suas relações próximas. Outra vantagem é ter mais tempo livre para o que você gosta de fazer, seja praticar esportes, participar de um trabalho voluntário ou aprender a tocar um instrumento. E essas também são oportunidades fantásticas para conhecer pessoas novas e fazer amizades.

Por Marcela Lima, psicóloga clínica.