Assine

Saiba que seu problema pode ser resolvido rapidinho!

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Eu viajei para uma cidade bem pequena, próxima à minha, com minha prima e minha amiga. Lá eu conheci um garoto e estou apaixonada por ele. O pior é que eu não tenho a menor ideia de quando vamos nos ver de novo. A gente só conversa pela internet mesmo, mas será que eu nunca mais vou vê-lo? O que eu faço?” - S.R., por e-mail

S., olhe de novo: o que parece um problema, não é! O mais difícil já aconteceu: vocês se encontraram nesse mundão e podem manter contato todo dia – as meninas apaixonadas do passado, pode apostar, dariam um dedinho pra estar no seu lugar, porque há uns 16 anos nem e-mail existia! Então, take it easy. Que tal vocês seguirem conversando via Facebook, quem sabe ouvirem a voz um do outro pelo telefone e, se o sentimento continuar forte, combinar um encontro nas próximas férias ou no próximo feriado? Afinal, ele mora aí pertinho, na cidade ao lado. Estamos na torcida!

Perguntamos pra alguns meninos a questão que não quer calar

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

SIM
“Sim, sem nenhum problema. Sou virgem e não tenho nenhuma necessidade de fazer sexo no momento. Por mais que não pense em casar agora, eu respeitaria se acontecesse. Se eu conhecer uma menina que valha a pena, esperaria até o casamento. Para mim, o sexo não é nem um pouco fundamental.” - Kauê Vettorazzo Pigozzi, 15 anos

NÃO
“Acho que não teria muito problema, mas é complicado. Sexo faz parte do relacionamento. Mas se eu estivesse muito a fim da menina e percebesse que ela vale a pena, esperaria o tempo dela. Mas há controvérsias.” - Cauê Citrini Lacava Ferreira, 16 anos

Resposta do famoso:
“Se há amor, com certeza! Eu sou uma pessoa sem preconceitos. Cada um tem a sua verdade. Se eu conhecesse uma menina que quer casar virgem e gostasse muito dela, eu esperaria o tempo dela.” - Ivo Mozart, cantor

Veja o que 7.899 meninas responderam na enquete da Atrê

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Situação complicada essa! Imagina que seu namorado, que você ama muito, diz que vai passar um tempão fora do País estudando. E aí? Será que o intercâmbio é um motivo para a separação ou dá para manter o relacionamento mesmo à distância? Fizemos essa pergunta em nosso site e descobrimos que a maioria das meninas acha que é uma oportunidade incrível e que continuaria o namoro sem problemas. Mesmo assim, mais de 2 mil meninas afirmaram que nesta situação elas terminariam, pois não iriam aguentar o ciúme e a distância. Duas leitoras deram suas opiniões pra gente. Confira o que elas têm para falar! 

SIM
“Eu obviamente não tentaria convencer meu namorado a não ir, porque intercâmbio é uma experiência única e que deveria ser vivenciada por todo mundo. Mas provavelmente terminaria o namoro, porque acho que seria muito doloroso para os dois. Ele lá, preso a mim, sem poder aproveitar tudo que deveria, e eu aqui, neurótica, pensando se ele está me traindo ou não. Isso sem contar o próprio sofrimento de querer estar junto e não poder, as crises de ciúme e insegurança. Acho que ia preferir que ele fosse desimpedido e curtisse sem preocupações e, quando voltasse, que a gente analisasse a possibilidade de voltar.” - Fernanda Rocha, 16 anos, São Paulo – SP 

NÃO
“Quando eu estava no segundo colegial meu namorado ia fazer intercâmbio, só que acabou não dando certo, o que me deixou bem feliz na época. Seria muito difícil pensar em ficar sem ver alguém que você gosta muito. Bom, isso faz dois anos e agora estamos muito mais maduros que antes. Eu sei que vão surgir outras oportunidades e provavelmente ele vai ficar fora por um ano. Apesar de ser extremamente difícil pensar no que vou passar durante esse tempo distante, eu concordaria com o intercâmbio porque tenho certeza que seria bom para o futuro dele, e o que eu mais quero é que ele esteja feliz e realizado.” - Mariana Hencklein, 17 anos, Araras – SP  

*Os nomes foram alterados para preservar a identidade das entrevistadas. 

Os meninos provam que as meninas não são as únicas a acreditarem a amor à primeira vista

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Dúvida da leitora: “Eu conheci o primo da minha melhor amiga e posso jurar que me apaixonei de cara! Minhas amigas não acreditam em amor à primeira vista, mas depois que conheci esse menino, eu passei a acreditar. Isso existe mesmo?” M.P., 16 anos, Americana, São Paulo

SIM
“Acredito, já até aconteceu comigo, e é a minha namorada atual. Ela é irmã do meu cunhado, a gente se viu, se gostou, ficou e já começou a namorar. Foi amor à primeira vista, não só química, porque o que sinto por ela, nunca senti por outra pessoa.” Raphael de Freitas, 23 anos, São Paulo

NÃO
“Não, eu acredito em um tipo de atração. Porque pra eu gostar de uma pessoa e dizer que amo, tenho que conhecê-la bastante. Posso sentir atração e até gostar da pessoa, mas amor, acho que não.” Kauan Gonçalves, 16 anos, São Paulo

A Y. ficou com um boy e agora está em dúvida se ele também gosta dela

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Uma amiga me apresentou um garoto fofo e acabamos ficando uma vez. O problema é que agora estou completamente apaixonada por ele e não sei se ele sente o mesmo. Isso me deixa em desespero! O que posso fazer?” - Y.L., 14 anos, São Paulo – SP

Vocês se conhecem e já ficaram, então vale a pena investir em uma aproximação. Como vocês têm amigos em comum, fica mais fácil combinar programas juntos, como ir ao cinema, parque, etc. Nessa, é bacana procurar conhecer melhor o garoto e deixar que ele a conheça também. É bem provável que com isso ele perceba o seu interesse e demonstre com as suas atitudes se gosta de você. Caso goste, ele vai aproveitar a oportunidade para ficar por perto e aí você pode se sentir mais segura para perguntar como ele se sente. Agora, caso ele não goste de você da mesma forma, é melhor saber logo e não ficar criando expectativas falsas para se magoar no futuro. Enquanto isso, não deixe de cuidar dos seus interesses, das coisas que gosta de fazer e das suas amizades, ok? Boa sorte com o gatinho!

Sim, a gente te entende e sabemos o que passa na sua cabeça durante o primeiro beijo! Quer ver só?

Finalmente vou beijar esse gatinho que eu paquerei minha vida toda! <3

Reprodução

Será que meu hálito está ok? Cadê aquela balinha de menta que eu tanto amo pra me ajudar? #socorro

Reprodução

OMG! É agora? O que faço? Coloco minha cabeça pra esquerda ou direita? Coloco a mão aonde? Heeelp!

Reprodução

Ele tá se aproximando! Abro ou fecho a boca? *lembrando de todos aqueles conselhos que eu li na Atrê*

Reprodução

Ai, gente, acho que ele não tá curtindo! Já posso sair correndo?

Reprodução

Espera, ele tá curtindo sim! Até parou o beijo e teve aquele 'momento embaraçoso' dele me olhando fundo nos olhos!

Reprodução

E depois que o beijo termina você percebe que todo aquele medo foi desnecessário: foi tudo perfeito!

Reprodução

A Atrê te conta o que há de bom e ruim em namorar um cara mais experiente do que você

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Quem nunca se apaixonou por um garoto da mesma idade e teve uma desilusão daquelas? Na maioria das vezes, os meninos são mais imaturos, fazem brincadeirinhas sem graça o tempo todo e não compartilham das mesmas ideias. Por isso, é comum se apaixonar por aquele irmão da amiga, mais velho, experiente e que chama a atenção de todas as meninas do colégio. Porém, antes de se jogar na paquera, é preciso saber se você e o cara têm realmente gostos em comum, pois só o fato de ele ser mais velho não é o suficiente para garantir uma relação legal, sem brigas.

A estudante Karielly Bandeira, de 17 anos, teve que sofrer com a falta de apoio dos pais quando contou que namorava Giulliano, nove anos mais velho. Ela conheceu o namô no aniversário do pai de uma amiga, ele havia acabado de terminar um casamento e já tem uma filha de 3 anos. Os dois se apaixonaram de cara e estão juntos há seis meses. No início do namoro, o Giulliano foi até a casa dela conhecer a família e se explicar, mas não adiantou. “Meus pais não aceitam e pronto. Como eu insisto em continuar namorando, eles me castigam de todas as formas possíveis: estou proibida de sair, de ir a festas, a shows e até de viajar”, conta.

A história da estudante Letícia Martins, de 17 anos, é bem diferente. Ela começou a namorar aos 14 anos com o Thiago, que, naquela época, tinha 20. A família dos dois estranhou no começo, mas depois aceitou o romance, que durou três anos. “As famílias se conheciam e, às vezes, a gente saía todo mundo junto”, lembra a Lê.

Nesse caso, o problema rolou mesmo entre os dois. Com a convivência, as diferenças, em vez de ajudarem, começaram a atrapalhar. O casal já não se entendia como antes, os gostos não batiam, ele saía para as baladas e ela, por ter menos de 18 anos, ficava em casa sozinha. Foi questão de tempo até rolar uma traição.

E, infelizmente, não há receita para garantir um final feliz num relacionamento como esse. Mas para a psiquiatra da infância e adolescência Ivete Gattas, da Universidade Federal de São Paulo, há alguns sinais que devem ser observados. “É fundamental que haja respeito e diálogo entre os dois para a relação dar certo. Além disso, vale tentar perceber se o cara está realmente acreditando no romance tanto quanto você. Se você não participa da vida dele, se ainda não foi apresentada aos amigos ou à família, e se ele também não fez questão de conhecer a sua família e os seus amigos, é bom ficar atenta”, diz.

A dica é a seguinte: se o primeiro contato não for aquela maravilha, não insista. Mas também não desista. Dê tempo ao tempo. Não tente forçar nada e muito menos se revolte contra a atitude dos seus pais ou dos seus amigos. E se todas as pessoas que você ama continuarem dizendo que o cara não é legal, mesmo depois de ter a oportunidade de conviver com ele, aí é o caso de parar e pensar.

Fique esperta, ok, girl? ;)

Aí você termina com o ex e ele começar a correr atrás de você! Saiba quais são as oito piores mensagens que você poderia receber do boy

"Hey! Estava pensando em você agora..."

Reprodução

"Você viu que está passando Crepúsculo na TV? Eu lembro que era o seu filme favorito..."

Reprodução

"Nossa! Sonhei com você essa noite..."

Reprodução

"Deveríamos sair qualquer dia..."

Reprodução

"Qual é mesmo o nome daquele restaurante que fomos quando fizemos um ano de namoro?"

Reprodução

"Hey, me desculpe! Curti aquela sua foto no Instagram, mas foi sem querer. Como você está?" #desculpaesfarrapada

Reprodução

"Nossa, quem é aquela menina loira com você na foto em seu Instagram?" #tentativadefazerciúmes #fail

Reprodução

"Hey! Vi você no shopping hoje! Você estava linda!"

Reprodução

Será que ele realmente quer dizer aquilo o que ele escreveu na mensagem no WhatsApp? Dá só uma olhada nestes gifs para rir muito!

O que ele escreveu: "Hey! Como foi o seu fim de semana?
O que ele quer dizer: "Porque você não me ligou nos últimos dois dias?"

Reprodução

O que ele escreveu: "Já te ligo, ok?"
O que ele realmente quer dizer: "Agora estou muito ocupado com os meus amigos para falar com você. Daqui a pouco estarei livre."

Reprodução 

O que ele escreveu: "A Paty vai dar uma festa hoje, você não quer ir? Ah, e pode levar as suas amigas, se quiser."
O que ele quer dizer: "Quero muito te ver na festa da Paty e, por favor, não chame as suas amigas." 

Reprodução

O que escreveu: "O que você vai fazer no domingo? Estou louco para ver A Culpa é das Estrelas..."
O que ele quis dizer: "Quero te ver no domingo. Até veria um filme que você ama só para te agradar

Reprodução

O que ele escreveu: "O que você fez ontem a noite? Algo divertido?"
O que ele quis dizer: "VOCÊ ESTAVA COM OUTRO GAROTO?"

Reprodução

O que ele escreveu: "Sonhei com você essa noite."
O que ele quis dizer: "Estou apaixonadinho por você e essa é apenas uma desculpa para vir falar contigo."

Reprodução

Investir nele ou não? O que faço?

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Uma amiga me apresentou um garoto fofo e acabamos ficando uma vez. O problema é que agora estou completamente apaixonada por ele e não sei se ele sente o mesmo. Isso me deixa em desespero! O que posso fazer?” - Y.L., 14 anos, São Paulo – SP

Vocês se conhecem e já ficaram, então vale a pena investir em uma aproximação. Como vocês têm amigos em comum, fica mais fácil combinar programas juntos, como ir ao cinema, parque, etc. Nessa, é bacana procurar conhecer melhor o garoto e deixar que ele a conheça também. É bem provável que com isso ele perceba o seu interesse e demonstre com as suas atitudes se gosta de você. Caso goste, ele vai aproveitar a oportunidade para ficar por perto e aí você pode se sentir mais segura para perguntar como ele se sente. Agora, caso ele não goste de você da mesma forma, é melhor saber logo e não ficar criando expectativas falsas para se magoar no futuro. Enquanto isso, não deixe de cuidar dos seus interesses, das coisas que gosta de fazer e das suas amizades, ok? Boa sorte com o gatinho!

Descubra o que as leitoras da Atrê pensam sobre o assunto polêmico

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

“Eu acho que traição não é um erro, é uma decisão. Erro a gente pode cometer querendo acertar, já a traição não! Então eu jamais ficaria com uma pessoa que tivesse me traído, porque pra mim, traição é uma decisão egoísta, que você toma sem pensar no outro. Eu já fui traída, doeu muito, eu perdoei, mas não continuei junto.” - M.F., 16 anos

“Independente do motivo, acho que não devemos fazer com os outros o que não queremos para nós, e traição é uma coisa muito séria pois quando se perde a confiança, não dá mais para continuar. E essa história de que foi sem querer é furada, porque ninguém trai sem querer.” - P.L., 17 anos

“Acredito que a traição pode sim ser perdoada. Apesar de ser muito doloroso, se a pessoa que traiu tiver coragem e humildade suficiente pra admitir seu erro e dizer que se arrependeu de verdade, ela pode ter o perdão.” - A.P.L., 15 anos

A ESPECIALISTA DIZ...
Ninguém ocupa um lugar que é bem ocupado’. Essa frase simples retrata o quanto o casal pode estar em conflito quando deixa uma terceira pessoa se aproximar. A existência de uma terceira pessoa na relação mostra que há distanciamento afetivo,  dificuldade de comunicação, insatisfações, inseguranças e até perda do amor ou do interesse na relação. Quando um dos envolvidos não expõe suas necessidades, sentimentos, desejos e frustrações isso ‘afasta’ o casal e adia qualquer possibilidade de resolver o problema, podendo até causar o término da relação a longo prazo. - Diálogo, bom senso, conversar em momentos mais tranquilos e apropriados pode ser um bom começo para buscar soluções para crises. - Por: Dra. Cristiane Moraes Pertusi, doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela USP.

Perguntamos para os meninos e eles revelaram tudinho pra gente

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

“Namoro há seis meses, mas não sinto mais a mesma coisa pelo meu namorado. Fiquei bem próxima de um amigo e rolou uma vontade de ficar com ele, mas ele diz que não vai ficar comigo enquanto eu estiver namorando. O que vocês fariam?” - L.T., 16 anos, São Paulo - SP

NÃO
“Não ficaria, porque costumo respeitar bastante as mulheres, mas respeito ainda mais os homens. Não gostaria que ninguém fizesse isso comigo, então eu não acho legal fazer com outra pessoa.” – Raphael de Freitas, 23 anos

SIM
“Se a menina está procurando outra pessoa pra ficar, é porque provavelmente o seu namorado não está lhe dando a devida atenção. Eu ficaria apenas se fosse algo bem casual, sem compromisso. Se a intenção dela fosse um romance eu já não aceitaria, porque pra mim isso já é o extremo da traição.” – Victor Lima, 19 anos