A Atrê conta alguns detalhes sobre a profissão de biólogo marinho. Dá uma olhada e veja se o job combina com você!

Biólogo marinho

Saiba um pouco mais sobre a profissão de biólogo marinho!

Foto: SXC

Pedro Piffer é biólogo marinho. Aventureiro, curioso, gosta de trabalhar ao ar livre e ama animais e a natureza, a ponto de querer investigar sobre o assunto em seus pequenos detalhes.

A escolha pela carreira: o primeiro motivo que fez Pedro escolher a profissão serviu de base para toda a sua carreira: o amor pelos animais. "Este fato me levou a outro nível de relação com a natureza. Com a disciplina Biologia, na escola, comecei a ter curiosidade sobre como o mundo e a vida funcionam", conta.

Para ser um biólogo marinho: "Eu sou, por exemplo, formado em Biologia, e como biólogo, estudo a vida no mar, por isso, sou biólogo marinho. Hoje em dia, há alguns cursos de biologia marinha, mas a maioria que quer seguir a carreira faz faculdade de Biologia. Como biólogo, você pode estudar toda a espécie de vida que vive no mar, como golfinhos, baleias, tartarugas, algas...Eu escolhi estudar os invertebrados de praia. Também se estuda outras áreas, como ecologia, zoologia, botânica e biologia molecular.

Perfil: "Tenho um amigo que brinca que biologia não é uma profissão, mas um estilo de vida. O biólogo atua de várias formas, mas de modo geral, ele precisa gostar um pouco de aventura. Você não vai pesquisar no conforto de casa, muito menos dentro de um escritório. Deve gostar da natureza, de ir ao campo, de pôr a mão na massa. Às vezes, tem que entrar em mangue, por exemplo. Precisa ser uma pessoa curiosa e que tenha vontade de querer conhecer mais!

A rotina: depende de onde se atua. Biólogos que trabalham em projetos como o Tamar ou Peixe-Boi (conservação da vida de tartarugas e do peixe-boi), por exemplo, vão ter muito contato direto com os animais na praia. Quem escolhe dar aula, tem a rotina normal de um professor. "Um pesquisador, como é meu caso, tem outra rotina. Uma parte é a prática, que é estar no ambiente natural coletando bichos, e a outra é dentro de um laboratório, analisando os resultados", conta Pedro.

Mercado: o biólogo marinho pode trabalhar em diversos ramos. Por exemplo, em projetos de conservação como Tamar, Peixe-Boi, Baleia Jubarte, entre outros. Além disso, é possível trabalhar em centros de reabilitação de animais marinhos. Para quem quer ser pesquisador, o caminho é fazer mestrado e doutorado, para estudar alguma área de interesse. Também pode-se dar aulas para escolas e faculdades.