Assine

Achou que os advogados ficassem apenas no tribunal? A Eliana Moraes, de 15 anos, também! Por isso, ela enviou as dúvidas sobre o curso de Direito para a Atrê e está prestes a descobrir – assim como você – que a profissão vai muito além dessa ideia. Se liga!

Texto Carol Salomão | Foto: Divulgação

O filme "Legalmente" Loira ilustra a vida de uma estudante de Direito

Foto: Divulgação

Como é o curso de Direito?

A maioria dos cursos de Direito dura cinco anos e é composta por três partes principais. A primeira é chamada de fundamentação, que reúne as disciplinas mais teóricas, como filosofia. Já a parte profissionalizante é mais técnica, com matérias como direitos penal, civil e digital. Depois de conhecer a sociedade e as regras, é hora de entrar na parte prática! É aqui que vamos discutir os processos, o que fazer quando a advogada perde um deles e precisa recorrer, etc.

Em quais áreas a aluna pode atuar?

Nós costumamos dividir em duas áreas principais, que são carreiras privadas, podendo ser advogada trabalhista, criminal, civil, etc., e carreiras públicas, em que vamos defender o interesse do Estado. É aqui que ficam os magistrados, como juízes e desembargadores, além dos cargos no Ministério Público, como os promotores e procuradores. E essas são apenas as áreas de atuação! Ainda há a consultoria jurídica, em que você não briga pelo direito de alguém, mas oferece auxílio para que tudo seja feito corretamente.

A oferta de estágio é grande?

Muito! Segundo os dados do ano passado do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nós estamos com uma média de mais de 200 milhões de processos! Uma advogada pode gerenciar quantos ela quiser, mas, para isso, vai precisar de muita mão de obra, né?

Uau! Então o mercado par a os recém-formados também é cheio de oportunidades? Existe uma média de salário inicial?

Sim! Os recém-formados não têm encontrado dificuldades para entrar no mercado. Existe muita  continuidade do aluno que termina o estágio e permanece no emprego. Há um piso salarial de R$ 1.900 a R$ 2 mil.

Quais qualidades uma boa profissional da área precisa ter?

A aluna precisa gostar de ler e estar ligada nas notícias, já que um caso novo de corrupção, por  exemplo, pode vir a mudar leis. Além disso, ela precisa desenvolver uma boa escrita e se preocupar em sempre melhorar a oratória. Afinal, nós ganhamos com argumentos e pela forma como nos expressamos, seja no papel ou na fala.

Há atividades extracurriculares que podem ajudar a aluna na hora de entrar para o curso de Direito?

Digo que curso de línguas é obrigatório. Não só para aprender um idioma, mas para conhecer outras culturas. Há cursos de teatro para melhorar a expressão, aulas de oratória, além de cursos rápidos de lógica, que ajudam a treinar a atenção e o raciocínio.

É obrigatório passar na prova da OAB? Como funciona o exame e a partir de quando a estudante pode prestar?

Se você decide advogar, atuar na área mesmo, você precisa passar pela OAB no último ano do curso. O exame é feito em duas etapas: na primeira, você demonstra conhecimento geral, que normalmente é um teste de livre escolha. Passando por ela, há a parte prática, em que a aluna apresenta uma peça no dia da prova. Por isso, nós falamos para as turmas que é preciso estudar desde o primeiro dia!

Revista Atrevida | Edição 246

 

Fique ligado!!! O último dia para se inscrever no ENEM 2016 é nesta sexta-feira, 20

ENEM 2016

Foto: Shutterstock

Galera, o último dia para se inscrever no Enem 2016 é amanhã! Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), mais de 3 milhões de estudantes fizeram a inscrição no Enem 2016 – Exame Nacional do Ensino Médio. Não vai ficar de fora, né? Então, corra pra não perder a sua chance de entrar na facul dos sonhos.

Quem ainda não se inscreveu terá até as 23h59min (de Brasília/DF) da sexta-feira, dia 20, para se cadastrar no site oficial. As inscrições do Enem 2016 devem ser feitas pela internet, através da página do participante, no portal do Inep, no link. O site ficará disponível até o último minuto do período de inscrição e, após isso, ninguém mais poderá alterar os dados cadastrados (se necessário) e/ou se inscrever na edição deste ano.

O valor de inscrição do Enem 2016 é de R$ 68,00. Para quem não tem condições, é possível fazer o peido de isenção de pagamento. Fique ligado e arrase na prova!!!

Se você admira o trabalho dos fisioterapeutas, é igual à Luana Duarte, que sonha em fazer uma faculdade na área. Mas se assim como ela, ainda tem dúvidas sobre a profissão, vem cá!

Texto Nathália Henrique | Arte: Carolina Tiemi | Ilustração: Isabela Santos

Guia de profissão

Ilustração: Isabela Santos

Como eu sei que fisioterapia é pra mim?

Para exercer uma profissão com qualidade é preciso gostar do que será executado. No caso da fisioterapia ou áreas da saúde, se faz necessário a vontade de ajudar as pessoas de idades variadas, sexo e condição social diversificada, habilidades manuais, gostar de tocar nas pessoas, paciência, gostar de estudar, ler e pesquisar para se manter em constante atualização. Também é necessário ter muita disposição para ajudar pessoas a superar dores e limites. Vivenciar a rotina de um profissional, se tiver oportunidade, pode dar uma dimensão melhor da profissão.

Quais são as principais disciplinas do curso?

O curso de fisioterapia tem disciplinas gerais da área de saúde, como anatomia, neuroanatomia,  fisiologia e histologia, como formação básica. Nos anos seguintes a formação é direcionada aos tratamentos, entre eles a cinesioterapia, as clínicas específicas de ortopedia, reumatologia, pneumologia, geriatria, neurologia, ginecologia, entre outras definidas pelo currículo da faculdade. Nos últimos anos, o aluno passa pela atuação direta nestas unidades e faz a formação da fisioterapia nos tratamentos de cada uma das áreas clínicas.

Quais matérias preciso focar na escola para me dar bem em fisioterapia?

Ter afinidade com as matérias de biologia, química e física pode ajudar muito durante a formação.

Em quais áreas eu posso trabalhar?

O profissional pode escolher hospitais, terapia intensiva, clínicas, empresas privadas, entre outros. Com o crescimento da profissão, outras oportunidades estão surgindo, como a fisioterapia oftalmológica e saúde da mulher.

Quais são as dificuldades e os momentos mais legais da profissão?

As dificuldades durante a formação acontecem pela grande quantidade de matérias que exigem concentração, pesquisa, seminários, planejamento e atuação. Após a formação, a dificuldade está no mercado de trabalho ou iniciação da carreira por conta própria. O mais legal, sem dúvida, é a satisfação de atingir o objetivo traçado para o paciente, que são os mais variados. Dentre eles estão: alívio das dores, ver uma criança desenvolvida e pronta para realizar as suas atividades ou ver andar alguém que perdeu seus movimentos.

Como é a rotina de um fisioterapeuta?

A rotina de um fisioterapeuta é diversificada. Varia com a especialidade escolhida. A legislação propõe uma carga horária de 30 horas semanais, porém, o profissional pode optar por fazer atendimentos particulares, o que incrementa a renda mensal.

Quanto ganha um profissional em início de carreira?

Depende do mercado, mas em alguns locais o piso salarial por 30 horas semanais gira em torno R$ 2.000 a R$ 3.000 por mês, porém, a renda pode ser complementada com outras atividades na área. Os concursos públicos também têm oferecido bons salários.

Existe oportunidade de estágio na fisioterapia?

Estágio de fisioterapia é regulamentado pelos conselhos COFFITO federal, e CREFITO estadual. A  experiência só pode acontecer a partir do 6º semestre da faculdade e sobre supervisão de um profissional formado e conveniado com a instituição de ensino, o que dificulta a atuação dos estagiários fora do âmbito universitário.

Quem deu as dicas: Flávia R. Schultz Freire, fisioterapeuta e idealizadora da Fluyr Saudável e Alessandra Carneiro Dorça, fisioterapeuta e diretora técnica da associação Pró-Cura da ELA.

Revista Atrevida | Edição 259

Sim, essa é mais uma da série “coisas que voc ê precisa saber, mas ninguém conta”. Quando passamos no vestibular e entramos na faculdade, um mundo novo se abre aos nossos olhos e, com isso, alguns perrengues aparecem. Para não ficar perdida e ter de lidar com tudo sozinha, selecionamos cinco dicas para você encarar a vida universitária. Veja só:

Texto Aline Marchiori | Foto:Shutterstock

Gif | Tumblr | Reprodução

Tenha objetivos

Ao iniciar o curso escolhido é importante ter em mente onde se pode ou quer chegar. Desta forma, você foca no que quer e corre menos riscos de mudar os rumos.

Socializar é importante!

E não estamos falando apenas das festinhas! Além dos amigos, na faculdade você acaba fazendo contatos profissionais, que no futuro podem ajudá-la a conseguir uma boa colocação ou indicá-la àquela vaga dos sonhos.

Seja esforçada

Não vai mais adiantar reclamar ou chorar para o professor, a vida é mais dura na universidade. As suas notas serão resultado apenas do seu esforço. Sem contar que os professores da faculdade também conhecem um montão de gente importante. Pode ser que no momento em que estejam procurando alguém para ocupar uma vaga indiquem você, já que sabem do seu empenho e dedicação.

Gif | Tumblr | Reprodução

Poupe a sua grana desde já

Aproveite que neste momento você está apenas estudando para o vestibular, não está saindo com tanta frequência e guarde uma graninha. Na faculdade, o estudante tem muitos gastos, como com material, alimentação, transporte, cópias, etc. E se você passar em uma universidade em outro Estado, então, esses gastos serão maiores. Mesmo que o seus pais banquem tudo, é bom ter uma reserva para possíveis perrengues.

Organize o seu tempo

Vão aparecer muitas oportunidades de badalar por aí, mas tome cuidado. Lembre-se de que o seu objetivo é estudar! Além disso, é bacana enquanto não consegue um estágio que você participe das atividades acadêmicas e, para isso, vai ser necessário ter o seu próprio ritmo de estudos, para conseguir dar conta de tudo e ainda se sair bem nas provas e nos trabalhos. Nem pense em deixar tudo para a última hora. Se isso é complicado na escola, imagine na faculdade. #deuruim

Gif | Tumblr | Reprodução

 

Se você curte passar horas no Youtube, saiba que dá para se divertir, revisar o conteúdo das matérias e ainda aprender coisas novas com canais inacrês. Ah, e fique esperta também com os livros para arrasar no vestibular

Arrase no vestibular com as dicas da Atrê

Foto: Shutterstock

CHONPSBIO
Exercícios de biologia e genética a deixam de cabelo em pé? Conte com as dicas do professor Dorival Filho, que tira todas as dúvidas no canal Chonpsbio. Para quem pretende seguir na área de biológicas, ele já adianta algumas aulinhas de bioquímica.

VESTIBULÂNDIA
Neste canal você encontra aulas bem bacanas de matemática, inclusive com resolução de algumas questões do Enem. Se o seu problema são as exatas, vale dar uma espiadinha!

REDAÇÃO E GRAMÁTICA ZICA 
Uma boa redação é fundamental para arrasar no Enem – e no vestibular também. Neste canal superdivertido, a professora Pamba dá dicas preciosas para escrever melhor e tirar 10 nos textos.

FÍSICA TOTAL
O professor Ivys Urquiza responde questões de física de um jeito bem descontraído. A série de vídeos sobre o Enem, em parceria com outros canais do YouTube, é imperdível!

QUÍMICA EM AÇÃO
Tire as suas dúvidas de química no canal do professor Paulo Valim. Além do YouTube, o professor tem um site e uma página no Facebook, ambos cheios de dicas para arrasar no vestibular.

CANAL DO PROF. TIAGO MENTA
Entenda mais sobre história com as aulas do prof. Tiago Menta. Tem vídeos sobre todos os assuntos, de Revolução Russa até História da China!

Livros clássicos que não podem faltar na biblioteca do Vestibulando/ ENEM 2016

O professor de Literatura Diogo Mendes, do Descomplica, maior plataforma de ensino online do país, lista abaixo esses clássicos livros que devem servir de base para os futuros aprovados no vestibular e ENEM 2016.

1) O Cortiço, de Aluísio Azevedo
2) Dom Casmurro, de Machado de Assis
3) Vidas Secas, de Graciliano Ramos
4) Laços de Família, de Clarice Lispector
5) A rosa do povo, de Carlos Drummond de Andrade

Se existe um dilema entre os estudantes do Ensino Médio é: entrar na faculdade direto ou focar em um curso de menor duração? Se essa dúvida também não sai da sua cabeça, vem com a gente, vamos ajudá-la a se decidir já!

Escolha a melhor opção

Foto: Shutterstock

  • Graduação: para escolher a faculdade logo de cara você precisa ter em mente que deverá focar nos estudos (entre disciplinas práticas e teóricas) por, em média, quatro anos seguidos. Para ingressar em uma faculdade será preciso prestar o vestibular e cada instituição de ensino segue um critério de seleção.
  • Curso técnico: seu maior objetivo é, em pouco tempo, formar profissionais capacitados. Em nosso país existem três tipos de cursos técnicos: o integrado, que pode fazer com o Ensino Médio; o externo, que é feito na mesma época do colégio; e o profissionalizante, que pode ser feito após o término do colégio.

Se você tem pressa ... 

Para entrar nomercado de trabalho e exercer a profissão que sonha, busque pelo curso técnico – que tem duração média de dois anos – e dedique-se a esse período de estudo que lhe dará a chance de conhecer mais a profissão escolhida, além de treiná-la para a rotina do trabalho. Lembre-se que, depois de finalizar o curso técnico, você pode buscar por outros na mesma área para se especializar em um período menor.

Se você está em dúvida ... 

A melhor coisa a se fazer é uma boa pesquisa sobre os temas que mais gosta de estudar e pedir opinião para os seus professores. Muitas vezes, escolhemos uma profissão que achamos ter apenas uma função, até que descobrimos que ela pode abrir várias portas diferentes, dando a chance de se apaixonar por um assunto que você nem sabia que existia. Vale a pena se informar para não se arrepender depois!

Se você tem certeza do que quer ...

Opte pela faculdade. Nela você não vai apenas aprender as matérias estipuladas, mas criará laços com pessoas que poderã oajudá-la durante o período acadêmico. E não pense que a faculdade é só teoria! Independentemente do curso, você colocará a mão na massa. É na universidade também que, geralmente, a partir do 2º semestre, as empresas buscam por estagiários para que os estudantes entrem no mercado de trabalho. Preparada?

Chega de fazer a sofrida e ficar se lembrando do vestibular que não rolou. Se quiser fazer bonito no próximo, é hora de parar de chorar e pegar firme nos estudo. vem cá, além de dar um abraço, nós selecionamos dicas que vão ajudá-la a deixar o passado para trás e focar de novo em seu objetivo!

Texto Quem deu as dicas: Alessandra Venturi, orientadora educacional do Cursinho da Poli

Vestibular

Foto: Shutterstock

• FAÇA UMA AVALIAÇÃO

O que será que aconteceu para você não ter ido bem no vestibular? Será que foi o conteúdo? O  nervosismo? Ou você não estudou o suficiente? Nessa hora é importante entender o que pode ter acontecido para o seu desempenho cair.

• SIGA EM FRENTE

Agora que você tem uma noção do que pode ter acontecido, é hora de aprender com os erros e seguir em frente. Encare o ocorrido como uma experiência para ganhar maturidade e não cometer os mesmos erros nas próximas provas.

• ACREDITE EM SI MESMA

Assim fica mais fácil dar a volta por cima. Para ajudá-la, faça um cronograma e identifique os horários que tem livre para estudar. Com os horários certinhos você tem de ser fiel ao tempo que combinou que teria livre para os estudos.

• ESQUEÇA O MEDO

Nada de ficar encanada de não passar de novo. Há 50% de chances de passar ou não, então faça o seu melhor. Não tenha medo de pedir ajuda quando estiver com dúvidas. Estude as aulas, treine
exercícios, faça simulados, provas anteriores, etc. O mais importante não é o tempo que você fi ca estudando, mas a qualidade do tempo que passa estudando. Trabalhe o foco e a concentração
para absorver todo o conteúdo (nós sabemos que é muita coisa!).

• ALIMENTE-SE BEM

Parece meio crazy essa dica, mas é verdade. Comer e dormir corretamente é fundamental para se preparar e ter fôlego para aguentar tantas horas de estudo. Uma má alimentação influencia na concentração e no rendimento nos estudos. E não adianta nada comer direito apenas no dia da prova!

Revista Atrevida / Edição 247

 

Guia de profissões: nutricionista! A Atrê revela como é o mercado de trabalho e o que é preciso para se destacar

Texto Carolina Salomão / Foto: Shutterstock

Nutricionista

Foto: Shutterstock

A Camila Gonçalves, de 16 anos, quer ser nutricionista, mas ainda tem muitas dúvidas sobre a profissão. Se você está na mesma situação que ela, siga em frente, a Atrê revela como é o mercado de trabalho e o que é preciso para se destacar!

Para ser nutricionista, é necessário cursar medicina?

Não. É preciso se graduar em nutrição e, depois disso, a pessoa pode fazer especialização na área em que mais gostar de atuar.

Como é o curso de nutrição?

O curso dura entre quatro e cinco anos, dependendo da faculdade. No primeiro ano, em especial, são vistas matérias mais gerais, normais na área da saúde, como fisiologia, bioquímica e anatomia. Com o passar dos semestres, as matérias vão ficando cada vez mais específicas da área de nutrição.

Existe grande oferta de estágio e emprego na área?

Sim, especialmente nas áreas de alimentação coletiva, nutrição clínica e saúde pública, que são as mais tradicionais. Outras áreas estão em expansão, como a nutrição no esporte e a nutrição estética. O bacana é que a área está em constante crescimento e valorização!

E em que áreas o nutricionista pode atuar?

Existem muitas possibilidades dentro da nutrição. Na área clínica você pode trabalhar em hospitais, ambulatórios, consultórios, spas... Já em alimentação coletiva, em restaurantes, bares, lanchonetes, hotéis e escolas. Para quem curte esporte, tem a área de nutrição esportiva, em que se atua com praticantes de atividade física ou atletas em academias e clubes. Uma área que está crescendo bastante também é a de nutrição estética, na qual você trata problemas como acne, celulite, envelhecimento, e pode trabalhar em clínicas estéticas, spas e consultórios. E, claro, sempre existe a possibilidade de dar aulas em faculdade, mas, para isso, é necessário ter também uma pós-graduação.

Existe uma média de salário para recém-formados?

Em torno de R$ 1.600, mas esse valor depende da área de atuação e até da região do Brasil.

Quais as maiores dificuldades da profissão?

Como em qualquer profissão, o início pode não apresentar um salário muito atraente, mas isso vai mudando com os anos de experiência. A falta de conhecimento da população sobre a atuação é outra dificuldade que está sendo superada aos poucos.

De quais matérias a garota precisa gostar e focar na escola para se dar bem em nutrição?

Sem dúvidas, biologia e ciências, que estão bem relacionadas à profissão.

Quais características uma boa profissional deve ter?

Ser interessada, ter boa vontade, estar antenada com pesquisas e com a atualidade, ser comunicativa, gostar de estudar e ser persistente. Além de ter muito amor pelo que faz, já que a nutrição é uma ciência apaixonante!

Que dicas você dá para a garota que quer seguir a profissão?

Procure sites, blogs, fanpages e perfis no Instagram relacionados à nutrição para estar sempre em contato com o assunto. Tentar conhecer algum profissional da área e até, se possível, marcar um bate-papo para entender melhor os pontos positivos e negativos é uma boa para se concluir se quer ou não seguir a profissão.

Revista Atrevida / Edição 244

Para ajudá-la a decidir de vez o seu futuro, a Atrê descobriu tudo sobre a profissão de fotógrafo! Preparada? #digaxiis

Texto Aline Marchiori / Foto: Pinterest / Reprodução

Fotografia: profissão

Foto: Reprodução / Pinterest

A Camila Miranda, de 14 anos, adora clicar tudo o que vê por aí, mas ficou #chateada quando o seu pai disse que ser fotógrafa não dá dinheiro. Que balde de água fria, hein? Para ajudá-la a decidir de vez o seu futuro, a Atrê descobriu tudo sobre a profissão! Preparada? #digaxiis

Para ser fotógrafa eu preciso fazer um curso em uma faculdade?

A profissão de fotógrafo ainda não é regulamentada, portanto, para ser fotógrafa, não há exigências legais. Mas para sermos bons fotógrafos, é preciso ter conhecimento técnico mínimo, criar um repertório de imagens e compreender a linguagem fotográfica. Para atingir essas três grandes metas, estudar fotografia é fundamental. Cursos livres e técnicos, em geral, ajudam a atingir a primeira delas e podem tocar na segunda. Somente um curso superior de fotografia, em especial um bacharelado, com duração de quatro anos, pode proporcionar todas essas experiências e oportunidades. Além disso, cada vez mais, o mercado valoriza a formação superior.

Como é o curso de fotografia?

O nível superior é caracterizado pela combinação entre ensino, pesquisa e extensão. Nesse sentido, cursos superiores, notadamente os bacharelados, buscam uma formação mais ampla para seus alunos. Em uma faculdade de fotografia, o aluno aprende a manusear uma câmera, mas também estuda teorias da comunicação; aprende a montar um set de luz e a desenvolver uma pesquisa
acadêmica.

Existem cursos para adolescentes para que vejam se é isso mesmo o que querem fazer no futuro?

Sim! Sugiro que procure cursos livres, de curta duração e de baixo custo, para começar a se aproximar desse mundo. Há diversos cursos e oficinas patrocinados pelo Estado ou por ONGs.

O que a garota deve levar em consideração na hora de escolher onde cursar fotografia?

Qualidade do corpo docente, espaços e equipamentos oferecidos pela instituição em que você pretende fazer seu curso. Observar a história do curso e as notas obtidas em avaliações oficiais também é importante!

Em quais áreas a garota pode trabalhar sendo fotógrafa?

O fotógrafo pode trabalhar autonomamente, em agências de publicidade, em escritórios de engenharia e arquitetura, em órgão de imprensa, em museus e arquivos, como pesquisador, como artista... O campo é muito vasto!

Como é o mercado? Existe grande oferta de trabalho?

Como as imagens estão em todos os lugares, a demanda pela produção é grande. No entanto, a massificação da tecnologia fotográfica digital possibilitou a generalização da capacidade de produção de imagens. Todos somos fotógrafos operando nossos celulares. O que o mercado busca e valoriza são os bons profissionais. Esses ainda são escassos e precisam buscar formação permanente. Dizem que a profissão não dá dinheiro.

É verdade? Quanto ganha um profissional em início de carreira?

O estudante de fotografia precisa reunir suas qualidades pessoais e experiências aos conhecimentos
obtidos na faculdade para que as boas oportunidades se ofereçam a ele. O sucesso depende apenas de uma pessoa: do próprio fotógrafo. Em início de carreira, um assistente de fotógrafo (auxiliar de estúdio) ganha algo próximo de dois salários mínimos (R$ 1.500).

E ao longo da profissão, ele chega a ganhar quanto?

Um profissional que possui seu próprio estúdio e tem uma boa carteira de clientes chega a ganhar um bom dinheiro. Um fotógrafo de uma grande agência internacional de notícias também pode ser bem remunerado, mas é difícil dizer o valor exato.

Revista Atrevida / Edição 247

A Renata Souza, de 16 anos, adora passar hoooras nas redes sociais e quer fazer delas a sua futura profissão. A Atrê foi descobrir tudo sobre a rotina de uma social media e prova que é possível fazer deste hobby uma carreira!

Texto Colaborou Victória Ragazzi | Fotos Shutterstock

Mídias sociais

Foto: Shutterstock

Quais as funções de um profissional da área?

O profissional é responsável por gerenciar uma marca nas mídias sociais. É como se a marca fosse uma pessoa, ele pode planejar como ela se comunicará e fazer isso de fato nos seus perfis e páginas, criando conteúdo e interagindo com as pessoas para atingir os objetivos que a marca tem.

Preciso cursar uma faculdade ou existem opções para quem quer ter uma formação mais rápida?

Não é necessário, mas é um diferencial. Quem tem faculdade (pode ser publicidade, jornalismo, relações públicas ou marketing) aprende conteúdos e referências importantes. Agora, se você optar por um curso, no Brasil há os livres que são de qualidade e são ministrados em faculdades e escolas de criatividade. Outra opção bem bacana é estar sempre antenada em eventos como o Share e o Social Media Week.

Em quais áreas posso trabalhar?

Há distinções de acordo com funções dentro das mídias sociais. Têm profissionais que trabalham na produção de conteúdo, eles podem se dividir em planejamento, redação e direção de arte. Há outros que trabalham somente no atendimento das pessoas que se relacionam com as marcas, fornecem respostas e interagem com elas. Por fim, há quem monitore tudo que acontece nos canais da marca e crie relatórios para entender o que está rolando.

Quais são as maiores dificuldades e os momentos mais legais da profissão?

A maior dificuldade é lidar com os “trolls” (haters) na internet! Já os momentos bacanas são quando
toda a estratégia funciona.

O profissional de social media segue uma rotina?

Sim, mas a maior dificuldade é se desligar do trabalho. Como trabalhamos com internet e também
amamos, é difícil se desligar de tudo e descansar.

Qual é a base salarial de um profissional? Até quanto ele pode ganhar dentro do mercado?

A média salarial é de R$ 2.593. Já no topo da carreira, o profissional pode ganhar cerca de R$ 10 mil,
segundo uma pesquisa do site Trampos.co. Para um estagiário em início de carreira a média é de
R$ 250. Uma realidade chata é que mesmo em uma profissão tão moderna, ainda há diferenças de
salários entre homens e mulheres (média masculina R$ 2.885, e média feminina R$ 2.424).

O que um estudante que quer seguir a profissão deve saber?

O trabalho é sério, tem bastante estratégia e precisa de dedicação. O ambiente é mais leve, mas o
que vale a pena é ver sua estratégia dando certo. Já a função do estagiário depende se será em uma agência ou em uma empresa organizada, mas ele normalmente irá ajudar com interações.

Revista Atrevida / Edição 252

 

Cartunista: curiosidades sobre essa profissão

Colaborou Victória Ragazzi | Foto Shutterstock 

Cartunista: curiosidades sobre essa profissão

A Isabeli Monteiro, de 14 anos, gosta muito de desenhar, e sonha em fazer disso a sua profissão. Para ajudá-la a se decidir, revelamos tudo sobre o trabalho. Se liga!

Existe uma faculdade específica para quem quer ser cartunista?
Na verdade, não existe uma faculdade específica em quadrinhos. A maioria dos cartunistas é formada em Jornalismo,Letras, Desenho Industrial, Publicidade,ou são autodidatas.

E cursos de especialização na área? Qual é o melhor caminho para quem quer se tornar cartunista?
A maioria dos cursos que encontramos é de excelente qualidade. A duração de um curso de história em quadrinhos(HQs) varia e geralmente é livre. O melhor caminho é a dedicação, os cursos servem para colocá-la em contato com o processo, mas o resultado vai depender apenas de você.

O que um estudante deve levar em consideração ao escolher trabalhar com cartuns?
Primeiro de tudo é se perguntar: porque quero fazer isso? Quero publicar tiras em jornal ou revista? O mercado é aberto, mas tão competitivo quanto qualquer outro, por isso, um bom plano é fundamental. Ter bom texto e estar bem informado também faz toda a diferença.

 

Quais são as vantagens e desvantagens de se trabalhar na área?
Se conseguir se colocar no mercado como uma boa quadrinista, uau, que sonho! Os tops nesta profissão são relativamente bem pagos e há uma série de satisfações. E outra coisa: se você já sabe sobre o que quer desenhar,se já tem histórias na cabeça, as suas chances são ótimas. A internet está aípara isso! Você faz, publica, divulga e vê o que acontece. Uma desvantagem: não espere fazer dinheiro tão cedo. O sucesso na profissão é como tudo o que é importante na vida: leva tempo!

Um profissional especializado em cartuns pode trabalhar onde?
Não é uma regra, mas muitos cartunistas têm facilidade em trabalhar com desenhos publicitários. Aliás,a publicidade é um ótimo campo de treinamento. Nela, você aprende a consolidar ideias, a trabalhar enquadramentos (storyboards),composição de imagem, etc.

Quanto ganha um profissional da área?
Depende da área e do que você vaifazer. Vamos supor que uma marca queira contratá-la para produzir tiras em quadrinhos semanais. Aí você pode tirar de R$ 1 mil a R$ 5 mil ao mês. Se o seu negócio é publicar em editoras, o valor pode chegar a R$ 30 mil. Apesar de aberto, o mercado é flutuante. Ou seja, depende do quanto as empresas e editoras têm para investir. De um modo geral, países como EUA, Japão e quase todos da Europa valorizam o cartunista. Isso porque o ofício nasceu com a imprensa, então, onde a comunicação for forte, o cartum também será.

Quais são as técnicas mais importantespara poder se dar bem na profissão?
Basicamente, a pessoa precisa dominar os três pilares de uma boa HQ:roteiro, desenho e finalização. Não é imprescindível saber escrever, desenhar e finalizar superbem, mas, às vezes, você pode ser chamada para roteirizar ou só finalizar uma arte de outro artista.

Quais dicas você daria para quem quer seguir no ramo?
Desenhe muito, escreva muito, enfim,seja mais do que uma cartunista. Você vai encontrar todas as dificuldades que imagina, mas se tiver força de vontade,as coisas acontecem. Não seja só uma artista, mas uma comunicadora.

***Quem deu as dicas: Pedro Ivo Barbosa, cartunista, autor do livro O Cidadão Incomum, redator e apresentador do portal Stuplendo e já produziu charges políticas para o programa Agora é Tarde.

 

A leitora Laiza Ramos, 15 anos, sempre gostou de números, mas quer uma profissão que vá além da matemática. Será que Economia é a melhor opção para prestar o vestibular? Fique ligado nas principais dúvidas e confira as dicas

Colaborou Victória Ragazzi e Nathália Henrique | Foto: Shutterstock

Vestibular: economia

Foto: Shutterstock

Qual a duração do curso de Economia e quais são as principais disciplinas?

São oito semestres, o que equivale a quatro anos. As principais matérias são Macro e Microeconomia, Econometria, Estatística e Matemática Financeira. Mas a grade do curso varia de acordo com a faculdade.

Quais fatores precisam ser levados em consideração ao escolher a profissão?

Deve ser levado em conta o interesse do aluno pelo assunto e que este é um curso que precisa de constante estudo. O estudante tem de estar ligado nos acontecimentos atuais, tanto no âmbito econômico quanto político, pois muitos dos assuntos e decisões impactam um no outro, afinal, a economia está sempre em movimento.

Quais as maiores dificuldades e os momentos mais bacanas da profissão?

Não só em economia, mas em qualquer profissão, é o estudante se acomodar. Estamos em constante mudança, um estudo ou informação que antes eram atuais podem se tornar ultrapassados rapidamente, e não acompanhar essas mudanças é um erro. Já a parte mais bacana é que a profissão é dinâmica e a permite transitar por diferentes culturas.

Quais são as áreas em que o estudante poderá atuar?

São diversas áreas, entre elas a macroeconômica, estratégia e organização industrial, até na análise do mercado internacional e no agronegócio. Além disso, podem atuar no setor público, em órgãos como o Banco Central, e como consultores.

Na faculdade, quais são as habilidades cobradas logo de início? 

Desde o início, as cobranças estão relacionadas ao entendimento da matemática básica, aprendida na escola ao longo dos anos, e uma noção de demanda e oferta de mercado, que serão aprofundados ao longo do curso de economia.

Qual a base salarial de um profissional da área?

De acordo com a tabela de salários no Brasil, o salário inicial de um economista é de R$ 3 mil (economista júnior), podendo chegar a R$ 40 mil (economista chefe). A média nacional é de R$ 3.708,21, e em concursos públicos, o salário varia entre R$ 2 mil e R$ 5 mil – neste último caso, sem contar adicionais. 

No mercado, existe oportunidade para o estudante estagiar?

Sim. E é bacana, pois neste processo ele poderá conhecer outras áreas, como a administração e contabilidade de empresas que exigirão habilidades básicas para que ele consiga se adaptar sem grandes problemas. Ter base em diversas áreas trará ao estudante uma bagagem importante.

Qual seria a maior dica para quem quer seguir no ramo?

Não é um curso fácil, mas também não é necessário ser um “expert” em exatas. Ajuda se você se interessar, porque, apesar de ter matérias que abrangem teoria, outras irão misturar teoria com cálculos e algumas terão apenas cálculos. Mas não pense que é um bicho de sete cabeças. Cálculo não é tão assustador quanto dizem, e se você é apaixonada por números, não encontrará grandes dificuldades.

Revista Atrevida / Edição 255