Assine

A Eloísa Alvim, de 17 anos, já se inscreveu para o vestibular em Engenharia Civil, mas ainda tem algumas dúvidas sobre como é o curso e o mercado de trabalho. Essa profissão também a interessa? Então vem com a gente!

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Como é o curso de Engenharia Civil?
O curso está estruturado em três grandes blocos: disciplinas de fundamentação geral (com foco em Matemática e Física), disciplinas profi ssionalizantes (disciplinas básicas de Engenharia) e as disciplinas específicas da habilitação civil, que envolvem concepção, projeto e dimensionamento das obras.

Quanto tempo tem o curso de Engenharia? A oferta de estágios é grande?
O curso tem duração de cinco anos e há grande procura por estagiários, em especial a partir do 3º ano, quando os estudantes começam a ter um contato maior com conteúdos específi cos da área.

Em quais áreas o engenheiro civil pode atuar?
O engenheiro civil pode atuar em diversas áreas e mercados, desde a fase de planejamento
e concepção de uma obra até a de projeto, construção e manutenção. Áreas como orçamento, gerenciamento e seguros também absorvem grande número de engenheiros.

Quais matérias da escola são mais importantes para quem quer se tornar engenheira?
Matemática e Física são as matérias que merecem atenção e dedicação, pois vão ajudá-la durante o curso e em toda a sua vida profissional.

Quais qualidades uma boa profissional deve ter?
Dedicação, empenho, criatividade e espírito empreendedor definem uma boa profissional da área.

Que dica você daria para quem está pensando em prestar vestibular para Engenharia Civil?
A dica é lembrar que ao realizar o sonho de ser engenheira você estará ajudando outras pessoas a realizarem os seus sonhos, como ter uma casa própria, melhores condições
de infraestrutura, de mobilidade, de saneamento, entre outras.

Quem deu as dicas: Gisleine Coelho, coordenadora do curso de Engenharia Civil da Universidade Anhembi Morumbi

O colégio acabou e você não quer ir pra facu ainda? A Atrê te ajuda!

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Se você terminou o colégio e ainda não sabe o que quer ser quando crescer, uma solução é adiar a entrada na facul. Daí, enquanto não se decide, você pode apostar num intercâmbio, no voluntariado ou até começar a trabalhar pra valer. Saiba mais sobre essas e outras opções!

Continue Lendo

A Atrê conta pra você quais temas devem cair na prova tão esperada

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Está chegando, gente! No próximo domingo (30) a prova da primeira fase da Fuvest será aplicada em 119 escolas no estados de São Paulo. Mais de 100 mil estudantes se inscrevaram, ou seja, as vagas estão bem concorridas. Por este motivo, é importante estar atenta no conteúdo da prova e ir preparada para arrasar, né? Se liga nos assuntos que devem cair no vestibular deste ano. 

Matemática
Concentre-se muito quando for estudar álgebra, já o assunto deve abranger cerca de 50% das questões. Geometria plana, analística, espacial e Trigonometria também devem estar presentes. Aproveite essas últimas semanas para tirar suas dúvidas sobre seno, cosseno, tangente e teorema de Pitágoras. 

Português
Não se esqueça de ler as 18 obras literárias obrigatórias. Interpretação de texto, discurso direto e indireto, coesão e concordância e questões de ortografia envolvendo crase e pontuação não devem ficar de fora. 

Biologia
Foque em ecologia, procure ler jornais e assistir noticiários que falem sobre o tema. Tire suas dúvidas sobre estruturas moleculares, evolução animal, bactérias, vírus e protozoários, vacinas, zoologia e botânica. 

Física e Química
A clássica Lei de Newton não deve ficar de fora. Balística, queda livre, mecânica escalar, leis de Kepler, equação fundamental da ondulatória e fundamentos da eletricidade não vão faltar também. Em química, ponto de ebulição, radioatividade, termoquímica e soluções são alguns dos temas que devem cair. 

Geografia
Geografia geral e, principalmente, atualidades devem cair. Fique atenta à jornais e noticiários sobre o que está acontecendo no mundo da agricultura, pré-sal, crescimento da população mundial, recuperação das potências, crise econômica européia e os problemas atuais envolvendo a Venezuela e a Cuba. 

História
Estude não só a história geral do Brasil, como também um pouco da história mundial. O principal foco da Fuvest deve estar em cima do Brasil República.

Meninas, lembrem-se de que essas são apenas algumas diquinhas básicas para vocês se programarem. Se empenhem em diversos assuntos, com professores especializados e boa prova! 

Parece que é só ler a palavra `obrigação´ que um livro se torna automaticamente chato. Por isso, a Atrê desvenda algumas das obras exigidas da USP e Unicamp e mostra como podem se tornar seus livros de cabeceira

Foto: Reprodução/Tumblr

VIAGENS NA MINHA TERRA, de Almeida Garrett
Cheio de ironias e escrito de forma que parece que o autor está conversando com a gente, Viagens na minha terra é, realmente, uma viagem dentro da outra. Você acompanha o trajeto do autor de Lisboa a
Santarém, passeia pela história de Portugal e ainda tem tempo de curtir um romance tipicamente romântico.

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS, de Manuel Antônio de Almeida
Publicada originalmente no jornal Correio Mercantil, de Portugal, essa história se passa no Brasil, tendo imigrantes portugueses nos papéis principais. Garantimos: esse livro vai lhe render boas risadas!
TIL, de José de Alencar Pegue um bolo de fubá, um café fresquinho e prepare-se para acompanhar uma história de amor que vem do interior de São Paulo. De quebra, ainda dá para revisar o conteúdo de história e saber mais sobre como as pessoas viviam na época das grandes fazendas paulistas.

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, de Machado de Assis
Já imaginou uma história que começa pela morte do personagem principal? E se somarmos pessimismo carregado de ironia e uma crítica power contra a sociedade da época? Interessou? Corra para a biblioteca!

A CIDADE E AS SERRAS, de Eça de Queirós
Ah, como é boa a vida no interior... Se Til é gostoso de ler pelo clima de interior de São Paulo, A cidade e as serras mostra a vida rural em Portugal. É uma mistura de realismo com naturalismo, ou seja, se você curte comentários meio pessimistas, meio irônicos, vai adorar.

O CORTIÇO, de Aluísio Azevedo
Nesse cortiço tem gente de todos os lugares. Negros, brancos e imigrantes europeus convivem juntos em um lugar onde não se consegue ter privacidade nenhuma.

SENTIMENTO DO MUNDO, de Carlos Drummond de Andrade
Esse é o terceiro livro do poeta, mas o primeiro em que ele deixa o romantismo um pouco de lado para mostrar sua visão mais crítica sobre o mundo. Mas fica a dica: não leia um livro de poesia como uma ficção em prosa. Em cada poema, se dê um tempo para pensar um pouco no que o autor realmente quis dizer com aqueles versos. Só depois passe para o próximo.

CAPITÃES DA AREIA, de Jorge Amado
Imagine um grupo de crianças e adolescentes que mora em um casarão abandonado e, para sobreviver, se dedicam a furtos e assaltos, tornando-se adultos antes do tempo... É uma leitura chocante, mas
que vale cada parágrafo. Sem contar que Jorge Amado é um dos autores brasileiros mais conhecidos e traduzidos em outros países. Livros seus como Gabriela, Cravo e Canela ou Dona Flor e seus dois maridos viraram obras de sucesso também na TV.

VIDAS SECAS, de Graciliano Ramos
O autor consegue fazer que um filme passe na sua cabeça ao contar a história de uma família de retirantes castigada pela seca. E olha que quase não existem diálogos no livro! É uma obra para fi car presa até a última página.

Descubra o que acrescentar e retirar do seu cardápio nos dias tensos de provas

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

No próximo fim de semana, milhões de estudantes farão o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). A gente sabe como os dias que antecedem as provas são tensos e, por isso, a Atrê selecionou alguns alimentos que podem ser acrescentados (ou retirados) do seu cardápio. Você vai ficar calminha, calminha e arrasar nos testes. 

Antes da prova:

- O ideal é que a alimentação balanceada comece um dia antes das provas, já que isso terá reflexo durante o Enem. Procure comer alimentos leves e que dão energia, como pães integrais, peito de peru, queijo branco ou até um prato de salada. 

- No café da manhã no dia da prova, opte por frutas e alimentos ricos em fibrar e carboidratos. Antes de ir fazer a prova, faça um lanche leve ou parta para um prato de saladas variadas. 

Durante a prova:

- Não deixe de levar algumas guloseimas no dia da prova, afinal são quatro horas e meia no primeiro dia e cinco horas e meia no segundo. Leve barrinhas de cereal, que podem ser bem energéticas. Se o dia estiver muito quente, evite barras de chocolate, já que, além de gordurosos demais, eles podem derreter com o calor. Se preferir, frutas também são uma ótima opção. 

- Não se esqueça de levar uma garrafinha de água. A falta de hidratação pode causar sonolência, porém, evite os refrigerantes, já que eles podem causar estufamento. Sucos também são uma boa dica. 

Depois da prova:

- Depois da maratona de testes, se jogue nos alimentos para repor as energias. Aposte nos graões, cereais, verduras, massas, arroz e frutas em geral. 

Evite: 

- Nos dias de Enem, evite comer em fast-foods e procure se alimentar sempre em casa, evitando comidas que você não sabe a procedência. É bom evitar qualquer indigestão nos dias de prova, né?

A Bianca Barreto, de 16 anos, sonha em ser dermatologista. Afinal, quem não quer ser médica e, de quebra, ajudar as pessoas a se sentirem mais bonitas? Antes de ela preencher a inscrição para o vestibular, tiramos todas as suas dúvidas aqui!

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Como é o processo para se tornar dermatologista? Quais cursos precisam ser feitos?
São necessários seis anos de graduação em Medicina e depois mais três anos de especialização em Dermatologia. Essa especialização pode ser residência ou pós-graduação, mas o mais importante é que seja reconhecida e credenciada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), assim você tem certeza de que está recebendo o melhor treinamento para se tornar uma dermatologista capacitada.
Outro passo importante é, ao final da especialização, fazer a prova do TED para obter o Título de Especialista em Dermatologia. Parece muita coisa, mas se você realmente curtir a profissão, vai valer a pena!

Quais as características de personalidade importantes em uma boa profissional?
Você deve ser estudiosa, atenciosa, cuidadosa e boa observadora. E muito responsável também!

Sou apaixonada por cosméticos! De que forma as dermatologistas trabalham no desenvolvimento deles?
As brasileiras são realmente apaixonadas por cosméticos e, por isso, somos hoje o terceiro país com maior consumo desses produtos, só perdendo para os EUA e o Japão. E cada vez mais, os médicos estão realizando estudos na tentativa de provar cientificamente os resultados de algum novo princípio ativo.

Em quais áreas a dermatologista pode trabalhar? Como é o mercado para esta área aqui no Brasil?
A dermatologista pode atuar em clínica, no tratamento de doenças dermatológicas, na parte de cosmiatria estética (fazendo procedimentos como peelings, por exemplo) e também na parte de pequenos procedimentos cirúrgicos. As áreas de cosmiatria e cirurgia foram as que mais cresceram
nos últimos anos, principalmente com as novas tecnologias de lasers.

Como é o dia de trabalho de uma dermatologista? 
Você pode optar por trabalhar em uma instituição de ensino credenciada à SBD e participar da formação de novos especialistas indo mais para o lado acadêmico da profissão, trabalhar em postos de saúde e hospitais com ambulatórios, seguir a carreira privada com consultório particular ou ainda misturar todas essas oportunidades.

É importante falar outras línguas nesta profissão? Quais são?
No mínimo, é preciso ter o inglês, para acompanhar as literaturas e congressos internacionais.

Qual é o melhor e o pior lado da profissão?
O lado bom da medicina é poder ajudar alguém; é ver o paciente evoluir, ficar satisfeito com o tratamento e, no caso da dermatologia, melhorar a autoestima, pois sabemos que muitas dermatoses (doenças da pele) sofrem preconceito. O lado ruim é que a demanda de tempo é muito grande, então, às vezes, sobra pouco tempo para o lado pessoal, mas basta administrar bem a rotina para tudo fluir!

Quem deu as dicas: Renata Proubel, dermatologista do Studio Menoli, e Vanessa Metz, dermatologista, sócia efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da Academia Americana de Dermatologia (AAD)

Se liga nas dicas da Atrê e garanta uma prova tranquila

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Com o Enem 2014 chegando, a ansiedade fica a mil, né? A rotina de estudos para as provas podem diminuir as horas do sono e até fazer você perder peso, o que contribui ainda mais para aumentar o nervosismo no grande dia. Pensando nisso, a Atrê preparou algumas dicas para você seguir, relaxar e arrasar na prova. Anota aí:

- Não adianta se matar de estudar, girl. O ideal é que você divida o seu tempo entre estudos, descanso, momentos de lazer e, é claro, o sono. Privar as horas de repouso contribuem ainda mais para o aumento da ansiedade no dia da prova. Enquanto estiver fazendo o Enem, se não conseguir resolver alguma questão, nada de ficar irritada. Pause um pouco, beba um pouco de água, respire fundo e volte a fazer a prova tranquilmanete, combinado?

- O nervosismo e a ansiedade para a prova liberam adrenalina no seu organismo, então, que tal praticar algum exercício físico para queimar essa energia extra? Você pode optar por ir correr com as amigas, fazer natação, ir à academia... Tudo para ficar tranquila e relaxada no grande dia - e ainda garantir um corpitcho inacrê para o verão, né? ;)

- Treine a sua concentração. Procure fazer simulados e responder as questões da prova de anos anteriores. Isso vai te dar uma noção de como é o Enem, além de treinar o seu foco e evitar grandes surpresas no grande momento, né? 

- Procure se alimentar bem na semana da prova. Coma coisas leves como arroz integral, peixe ou frango assado ou grelhado, saladas, frutas, e não se esqueça de levar algo para comer enquanto faz o teste, como um chocolate ou uma barra de cereal. Ah, não se esqueça de uma garrafinha de água, ok?

- Faça alongamentos. Antes de entrar na sala da prova, se alongue e se prepare fisicamente para as horas de teste que estão por vir. O esforço mental exige muito do seu corpo, portanto, o deixe preparado, certo?

E aí, pronta para o Enem? #siiim

A temporada de vestibulares está chegando! Será que você está preparada fazer a prova e entrar na faculdade?

Faça o Teste

A Atrê selecionou quatro profissões que têm de tudo para ser a tendência dos próximos anos

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Com as novas tecnologias, algumas profissões devem crescer nos próximos anos e podem ser uma boa oportunidade para quem está ingressando no mercado de trabalho. Confira algumas áreas que prometem ser uma boa aposta:

Sustentabilidade
Com a necessidade de “pensar verde”, a área de sustentabilidade está buscando talentos. Cursos em engenharia ambiental, química e biologia estão cada vez mais disputados pelas possibilidades que abrem no mercado de trabalho, como o ramo de gestão de ecorrelações, resíduos e ambientais.

Saúde e qualidade de vida
Biotecnologia, gestão em qualidade de vida e outras profissões focadas em saúde estão em alta. Isso porque a expectativa de vida no País vem crescendo, assim como o número de profissionais que trabalham para proporcionar qualidade durante todas as fases da vida. Por isso, prestar medicina não sai da moda! Mas existem outros cursos nessa área, como enfermagem, fonoaudiologia e farmácia, que também abrem diversas possibilidades.

Digital
Profissões como analista de mídias digitais, e-commerce e cloud computing estão absorvendo muitos profissionais vindos da área de marketing, comunicação e tecnologia da informação. Isso acontece porque as empresas estão cada vez mais investindo no digital, abrindo oportunidades para quem se interessa pelo setor.

Agronegócio 
O setor do agronegócio abre diversas possibilidades por ir desde a produção de alimentos até a área de máquinas e fertilizantes. Com uma busca maior pela melhora na produção de alimentos e o Brasil sendo um país de destaque na inovação, o mercado vem crescendo e ficando cada vez mais promissor. Cursos como agronomia, engenharia agrícola e de alimentos e até mesmo veterinária podem ser uma boa opção para quem quer trabalhar nesta área.

O Exame Nacional do Ensino Médio está próximo! Será que você está pronta para arrasar na redação?

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Na hora do vestibular, você precisa se preparar não somente para as perguntas objetivas, mas também para a redação. Ela é tão ou até mais importante do que as questões da prova, porque avalia seu modo de se expressar e organizar as ideias. Confira nossas dicas e arrase na hora de escrever o seu texto.

- Antes de começar a escrever, pense bem na proposta da redação e organize suas ideias. Faça um roteiro com os fatos, argumentos e soluções que pretende abordar no texto e siga esse rascunho na hora de escrever.

- A redação de vestibular costuma solicitar um texto dissertativo-argumentativo. Por isso, não basta expor os fatos: é fundamental emitir sua opinião com argumentos concretos. Expressões como “eu acho” e “eu acredito” são dispensáveis. Se o texto é opinativo, é claro que aquilo é o que você acha!

- Também tenha cuidado com a gramática, utilizando sempre a norma culta da língua. Evite gírias ou outras marcas de oralidade. Nada de escrever “vc” ou “tb” na redação!

- Tome cuidado para não fugir do tema. Suas propostas e argumentos devem estar em sintonia com o assunto proposto. Não adianta fazer colocações interessantes se elas não têm nada a ver com o tema, né?

- Tenha estilo próprio. Pode ser difícil desenvolvê-lo no começo, mas o treino constante vai acabar facilitando esse processo. Os avaliadores gostam de identificar isso na redação.

- As dissertações normalmente exigem conhecimentos gerais. Por exemplo, se você deve emitir sua opinião sobre a Primavera Árabe, é fundamental entender o que foi esse fato histórico, né? Sem esse conhecimento, sua redação vai ficar vazia e superficial. Leia muitos jornais e sites de notícias para se manter atualizada.

- Fuja dos clichês típicos em dissertações. Expressões como “abrir com chave de ouro”, “antes de mais nada”, “inserido no contexto”, “é preciso ter consciência...”, etc. são cansativas e deixam o texto pobre.

- Usar gírias não é legal, mas exagerar na formalidade também não é uma boa solução. Usar palavras difíceis ou linguagem muito rebuscada tira a naturalidade e fluidez do texto. Não pense que isso vai impressionar o avaliador, pelo contrário! Um texto bem escrito, mas pobre em conteúdo, não
garante uma boa nota.

- Não construa frases muito longas e sem pontuação. As frases simples dão clareza ao texto.

- Leia muito! Leia de tudo, de notícias a histórias de ficção. O hábito da leitura a ajuda a construir seu próprio estilo de escrita e aumenta seu repertório de palavras, além de acrescentar cultura geral. Quem lê muito costuma escrever bem.


- O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está se tornando um importante instrumento de avaliação em diversas faculdades. A redação vai pedir um texto dissertativo, com no mínimo 15 linhas, que apresente uma solução para um problema abordado. O tema normalmente é um problema social atual. Mande bem nessa prova!

Quer se divertir enquanto estuda? Se liga nas dicas da Atrê!

Se você curte passar horas no YouTube, saiba que dá para se divertir, revisar o conteúdo das matérias e ainda aprender coisas novas com canais inacrês!

Chonpsbio

Exercícios de biologia e genética a deixam de cabelo em pé? Conte com as dicas do professor Dorival Filho, que tira todas as dúvidas no canal Chonpsbio. Para quem pretende seguir na área de biológicas, ele já adianta algumas aulinhas de bioquímica.

Vestibulândia

Neste canal você encontra aulas bem bacanas de matemática, inclusive com resolução de algumas questões do Enem. Se o seu problema são as exatas, vale dar uma espiadinha!

Redação e Gramática Zica

Uma boa redação é fundamental para arrasar no Enem – e no vestibular também. Neste canal superdivertido, a professora Pamba dá dicas preciosas para escrever melhor e tirar 10 nos textos.

Física Total

O professor Ivys Urquiza responde questões de física de um jeito bem descontraído. A série de vídeos sobre o Enem, em parceria com outros canais do YouTube, é imperdível!

Química em ação

Tire as suas dúvidas de química no canal do professor Paulo Valim. Além do YouTube, o professor tem um site e uma página no Facebook, ambos cheios de dicas para arrasar no vestibular.

Canal do prof. Tiago Menta

Entenda mais sobre história com as aulas do prof. Tiago Menta. Tem vídeos sobre todos os assuntos, de Revolução Russa até História da China!


Saiba que fazer uma faculdade em outro país não é coisa de outro mundo

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Se você está com várias dúvidas sobre se pode ou não fazer uma faculdade fora do País, pode ficar tranquila que a Atrê vai acabar com todas elas. Hoje em dia, fazer um curso de graduação em outros países não é nada tão complicado assim. As grandes universidades gringas têm planejamento para receber alunos estrangeiros e até conceder bolsas de estudos de acordo com as notas do aluno no ensino médio. Dá só uma olhada nas nossas dicas para você embarcar nessa!

Faculdades estrangeiras
Se você decidiu mesmo estudar fora do Brasil, o próximo passo é escolher o país e a faculdade que quer ingressar. Primeiro, vale pensar que cada país tem uma época de matrícula. Por exemplo, nos Estados Unidos, as aulas começam em agosto, assim como na Austrália e no Canadá. Já no Reino Unido, França e Alemanha as aulas têm início em setembro. Para todos os casos, o processo deve começar entre um ano e seis meses antes da data. Outra coisa muito importante é saber se a faculdade que escolheu é realmente boa. Há rankings internacionais de qualidade de ensino que mostram quais instituições são mais bem reconhecidas. Dê uma olhada nesse nesse site para tirar suas dúvidas.

A escolha dos cursos
As matérias que podem ser cursadas geralmente constam no site das universidades. Você também precisa entender que o sistema educacional estrangeiro é diferente do brasileiro. Na maioria dos cursos, há um ano chamado de “foundation year”. É um período de adaptação para que você se prepare para acompanhar o ritmo das aulas. Por isso, exige um comprometimento maior do aluno. É você quem vai montar seu currículo e isso requer responsabilidade para saber o que é melhor para sua educação. Quando o estudante volta ao Brasil, depois de realizar um curso superior, ele precisará fazer um procedimento de revalidação do diploma expedido no exterior. Essa revalidação deve ser solicitada nas universidades públicas brasileiras que ofereçam um curso igual ou similar ao cursado no exterior.

Bolsas de estudo
Já imaginou fazer o curso dos sonhos com bolsa de até 50%, incluindo acomodação e alimentação? Essa possibilidade existe, sim! Se você tem aptidão para alguma modalidade de esporte, como futebol ou vôlei, pode pedir na universidade uma bolsa para cobrir uma parcela das despesas. Também existem as bolsas por histórico escolar. Se você teve um bom desempenho nas notas durante os três anos de ensino médio, também poderá conseguir um desconto. 

Como ir
O processo para se inscrever não é burocrático, mas exige documentação que comprove nível de inglês avançado (mínimo IELTS 5.0), um bom desempenho acadêmico durante o ensino médio, além de cartas de referência que sempre podem ajudar. Você também precisará reunir todos os documentos escolares e traduzi-los para a língua do país da faculdade. Cartas de recomendação de professores e orientadores são sempre um a mais. É possível abordar a escola diretamente ou utilizar uma agência de intercâmbio para isso. Comissões de alguns países também fazem essa orientação, como EUA (educationusa.org.br), Inglaterra (educationuk.org), França (brasil.campusfrance.org) e Canadá (educationau-incanada.ca).

Quanto custa
Nos Estados Unidos, a média anual é algo em torno de R$ 60 mil. O preço inclui acomodação e alimentação no campus. Na Inglaterra, a anuidade varia entre R$ 10 e 30 mil. Em outros países, como Alemanha e França, o estudo é subsidiado pelo governo, o que pode diminuir consideravelmente os custos, principalmente para aqueles que possuem cidadania europeia.

Quem deu as dicas: Renata Santana, gerente de Educação Internacional do STB.