Achou que os advogados ficassem apenas no tribunal? A Eliana Moraes, de 15 anos, também! Por isso, ela enviou as dúvidas sobre o curso de Direito para a Atrê e está prestes a descobrir – assim como você – que a profissão vai muito além dessa ideia. Se liga!

Texto Carol Salomão | Foto: Divulgação

O filme "Legalmente" Loira ilustra a vida de uma estudante de Direito

Foto: Divulgação

Como é o curso de Direito?

A maioria dos cursos de Direito dura cinco anos e é composta por três partes principais. A primeira é chamada de fundamentação, que reúne as disciplinas mais teóricas, como filosofia. Já a parte profissionalizante é mais técnica, com matérias como direitos penal, civil e digital. Depois de conhecer a sociedade e as regras, é hora de entrar na parte prática! É aqui que vamos discutir os processos, o que fazer quando a advogada perde um deles e precisa recorrer, etc.

Em quais áreas a aluna pode atuar?

Nós costumamos dividir em duas áreas principais, que são carreiras privadas, podendo ser advogada trabalhista, criminal, civil, etc., e carreiras públicas, em que vamos defender o interesse do Estado. É aqui que ficam os magistrados, como juízes e desembargadores, além dos cargos no Ministério Público, como os promotores e procuradores. E essas são apenas as áreas de atuação! Ainda há a consultoria jurídica, em que você não briga pelo direito de alguém, mas oferece auxílio para que tudo seja feito corretamente.

A oferta de estágio é grande?

Muito! Segundo os dados do ano passado do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nós estamos com uma média de mais de 200 milhões de processos! Uma advogada pode gerenciar quantos ela quiser, mas, para isso, vai precisar de muita mão de obra, né?

Uau! Então o mercado par a os recém-formados também é cheio de oportunidades? Existe uma média de salário inicial?

Sim! Os recém-formados não têm encontrado dificuldades para entrar no mercado. Existe muita  continuidade do aluno que termina o estágio e permanece no emprego. Há um piso salarial de R$ 1.900 a R$ 2 mil.

Quais qualidades uma boa profissional da área precisa ter?

A aluna precisa gostar de ler e estar ligada nas notícias, já que um caso novo de corrupção, por  exemplo, pode vir a mudar leis. Além disso, ela precisa desenvolver uma boa escrita e se preocupar em sempre melhorar a oratória. Afinal, nós ganhamos com argumentos e pela forma como nos expressamos, seja no papel ou na fala.

Há atividades extracurriculares que podem ajudar a aluna na hora de entrar para o curso de Direito?

Digo que curso de línguas é obrigatório. Não só para aprender um idioma, mas para conhecer outras culturas. Há cursos de teatro para melhorar a expressão, aulas de oratória, além de cursos rápidos de lógica, que ajudam a treinar a atenção e o raciocínio.

É obrigatório passar na prova da OAB? Como funciona o exame e a partir de quando a estudante pode prestar?

Se você decide advogar, atuar na área mesmo, você precisa passar pela OAB no último ano do curso. O exame é feito em duas etapas: na primeira, você demonstra conhecimento geral, que normalmente é um teste de livre escolha. Passando por ela, há a parte prática, em que a aluna apresenta uma peça no dia da prova. Por isso, nós falamos para as turmas que é preciso estudar desde o primeiro dia!

Revista Atrevida | Edição 246