Já faz um tempo que o preservativo feminino está no mercado, mas rolam ainda muitas dúvidas sobre ele. Bora esclarecer todas elas?

Texto Aline Marchiori / consultoria SÔNIA EUSTÁQUIA, sexóloga e psicóloga pós-graduada em sexualidade humana. / Arte: Isadora Santos

Camisinha feminina

Arte: Isadora Santos

  • Ela tem a forma de um cilindro com um aro em cada extremidade: um aro é fechado e fica junto ao colo do útero, e o outro aberto e fica por fora da vagina. O aberto permanece do lado de fora depois da  inserção, protegendo os lábios e a base do pênis.
  • Segundo pesquisas, ela previne DSTs, como a aids e evita a gravidez entre 79% e 95% dos casos.
  • Por ser de plástico, o preservativo feminino não compromete a sensibilidade e é bem adaptável ao corpo.
  • Pode ser colocada antes da relação sexual, ao contrário da camisinha masculina, que deve ser colocada na hora.
  • Para minimizar o desconforto e ruídos, é possível usar lubrificantes à base de água ou óleo.
  • Jamais use a camisinha feminina junto com a masculina. O contato das duas pode aumentar a chance de rompimento.
  • Se o seu medo é de que a camisinha entre totalmente na vagina, pode ficar tranquila, pois se colocada corretamente, isso não acontece. Durante o sexo, ela pode se mover um pouquinho. Caso perceba que o anel externo está muito próximo da entrada da vagina, puxe um pouco para fora – é indicado que ele fique cerca de 3 cm para fora.

Revista Atrevida / Edição 244