Assine

Oi, gineco! Só de pensar em ir ao ginecologista você já fica tensa porque não sabe o que vai rolar lá dentro? Keep calm, nós garantimos que esse momento é bem mais tranquilo do que você imagina. Se liga:

Texto Consultoria Sônia Eustáquia, sexóloga e psicóloga pós-graduada em sexualidade humana.

Consulta ao ginecologista

Foto: Reprodução / Pinterest

 

A primeira consulta ao ginecologista geralmente é uma conversa informal, na qual o médico faz perguntas sobre doenças da infância, hábitos, ciclo menstrual e doenças na família. Ele também poderá dar orientações sobre sexo, doenças sexualmente transmissíveis e gravidez. Não tenha medo de perguntar!

 

  • Pergunte o que quiser, o ginecologista não vai rir das suas questões. Ele está preparado para lidar com essas situações e tudo o que você disser será respeitado.

 

  • Sua mãe não precisa entrar no consultório se você não se sentir à vontade. Se ela insistir, pode entrar para auxiliar o médico com aquelas informações sobre o seu desenvolvimento que você não sabe ou lembra. O bacana é que seja combinado entre você, o médico e a sua mãe o momento certo para que ela os deixe a sós.

 

  • Fique tranquila, o médico não contará nada do que você disser à sua mãe. O que um paciente conversa com o médico em uma consulta é sigiloso. Somente em casos de doenças ou abusos que coloquem em risco a vida da garota é que ele deverá conversar com os pais.

 

  • Se você for virgem, o médico examinará apenas os seus seios, a região abdominal e a parte externa da região genital. Caso já tenha tido relações, ele examinará a vagina internamente. Fique calma, pois o exame é importante para prevenir doenças.


Revista Atrevida / Edição 247

Superturbinada! Ao contrário de muitas garotas que sonham em ter seios fartos, nossa leitora sofre com o crescimento exagerado dos seus e quer dar um basta nisso. Mas será que é possível? A Atrê responde!

Texto por Aline Marchiori/ Ilustração Isabela Santos

Seios fartos

Ilustração: Isabela Santos

“Meus seios começaram a se desenvolver quando eu tinha 11 anos e agora eu já tenho 18 e eles não param de crescer. Não gosto porque são grandes e pesados, tenho muita dor nas costas e todas as roupas que coloco acabam ficando vulgares. Até quando eles vão crescer?” A. S., 18 anos, São Paulo, SP

Eles não param!

Não é normal os seios crescerem aos 18 anos, como é o caso da A.. Isso porque eles costumam se desenvolver até em torno dos 16, 17 anos, que é geralmente dois ou três anos após a menarca. Também não é normal os seios crescerem tanto, mas pode acontecer. Esse crescimento exagerado
é conhecido como gigantomastia. Isso acontece porque algumas mulheres têm muitos receptores de estrógenos nas mamas, o que faz que tenham maior sensibilidade a este hormônio, que normalmente começa a ser produzido em quantidades maiores a partir do início da puberdade. Mas não é só isso que faz o seu sutiã aumentar de tamanho. A obesidade e os problemas glandulares também podem causar um aumento exagerado no volume das mamas.

Quem pode?

Adolescentes a partir dos 16 anos podem fazer a cirurgia. Os médicos também usam a referência da idade ginecológica, ou seja, o tempo que passou desde a sua menarca para avaliar se a garota já pode ou não se submeter ao procedimento. Um ponto que deve ser levado em consideração antes de decidir fazer a cirurgia é que como qualquer processo cirúrgico ela deixará cicatrizes, então a garota deve saber que sairá de lá com as marcas das incisões. Outra sugestão é para as meninas que estão
acima do peso. O ideal é fazer dieta antes da cirurgia para que a gordura que se deposita nas mamas não atrapalhe na avaliação do seu tamanho real. Fora isso, não é necessário nenhum cuidado especial, além de conversar com a sua família e escolher um médico de confiança, é claro!

Silicone – só que ao contrário

Se os seus seios continuam crescendo desenfreadamente, a solução talvez seja a cirurgia de redução das mamas. Nela, é retirado tecido mamário para que a mama apresente um volume menor. Se feita adequadamente, com as incisões nos locais corretos, não existem contraindicações, por isso, é imprescindível procurar um bom médico.

5 problemas causados pelos seios grandes:

  • Dores nas costas devido à sobrecarga na coluna vertebral.

 

  • Depressão nos ombros pela alça do sutiã.

 

  • Dores nas próprias mamas.

 

  • Sofrimento emocional, já que garotas com seios grandes muitas vezes têm problemas de baixa autoestima.

 

  • Bullying. Por serem “diferentes” das amigas, algumas vezes essas garotas podem sofrer com brincadeirinhas dos colegas.


Revista Atrevida / Edição 247

Dar adeus à acne e ficar com uma pele lisinha só depende de uma pessoa: você mesma. E o primeiro passo para isso é ter disciplina. Vem ver só como é que se faz para ter uma pele bem cuidada e deixar todo mundo babando!

Texto da Redação / Foto: Divulgação

Pele

Foto: Shutterstock

1º passo: limpeza

Lavar o rosto duas vezes por dia é fundamental. Para isso, use água fria, sabonete ou loção de limpeza. O importante é que o produto seja específico para a acne. “Ele deve conter enxofre, ácido salicílico ou peróxido de benzoíla”, indica a dermatologista Mônica Maluf. Três vezes por semana, você
pode fazer uma esfoliação suave na pele, pois isso ajuda a remover os cravos e as células mortas.

2º passo: tonificação

Hora de complementar a limpeza feita com o sabonete. Esse passo é fundamental em sua rotina de cuidados com a pele. Os tônicos ou adstringentes faciais devem ser aplicados com algodão, sempre partindo do meio do rosto para fora (no sentido do nariz para as orelhas). Eles limpam profundamente, equilibram a oleosidade da pele e controlam o brilho.

3º passo: hidratação

Oleosidade e umidade são coisas diferentes. Por isso, a ideia de que pele oleosa não precisa de  hidratação é completamente furada. A verdade é que este tipo de pele exige um hidratante próprio. Ele vai manter a pele nutrida e vai ser mais difícil pintar espinha no pedaço. “O hidratante pode ser enriquecido com ativos que ajudam a controlar a oleosidade, como os ácidos”, explica a dermatologista.

4º passo: tratamento

Loções e géis secativos completam os cuidados diários. Eles têm ácidos e antibióticos que tratam e podem ser aplicados sobre as espinhas inflamadas. Para as fãs de maquiagem, a dica é optar por um corretivo com função secativa. Existem vários no mercado e, além de disfarçar o problema na hora da emergência, ajudma a tratar. Você cuida da acne sem nem perceber!

Revista Atrevida / Edição 252

Não são só as espinhas que infernizam nossos dias. Os cravinhos também podem acabar com nosso bom humor. A Atrê ensina os melhores tratamentos para se livrar deles

Colaborou Julia Prezotto / Consultoria: Dra. Denise Lage, Dra. Edislene Viscardi e Dra. Daniela Landim / Foto: Shutterstock

Cravos

Foto: Shutterstock

O que são?

Também chamados de comedões, os cravos são pequenos pontos escuros ou brancos na pele, especialmente, na zona T (formada por nariz, testa e queixo).

Como eles nascem?

Os cravos nascem por dois motivos: o aumento da gordura produzida por glândulas da pele e o entupimento dos poros por onde essa gordura deveria ser eliminada. Em geral, os poros entopem pela produção excessiva de queratina (substância fabricada naturalmente pelo corpo), que atrapalha a saída da gordura, mas produtos de beleza podem ser os culpados também.

Já tenho cravos e agora?

A regra é a mesma que a das espinhas: nunca esprema ou cutuque o cravo! Isso tende a fazê-lo piorar
e pode até causar uma cicatriz. A extração deles deve ser realizada por um profissional, geralmente um esteticista, que vai fazer uma limpeza mais profunda na pele e pode indicar tratamentos específicos, como peeling e laser, para casos mais sérios.

Cuide da sua alimentação!

Não existe nenhum alimento que evite o aparecimento de cravos, porém, é certo que manter uma alimentação balanceada deixa a pele mais saudável. Então, diminua a quantidade de carboidrato, açúcar e leite em sua dieta e aumente a ingestão de frutas, cereais e legumes.

Revista Atrevida / Edição 236

Você engorda e emagrece muito rápido ou é ativa ou lenta demais? Saiba que isso pode significar alguma disfunção na sua tireoide. Quer entender melhor o que pode estar rolando? Explicamos agora!

Texto por Aline Marchiori | Ilustração Isabela Santos

Foto: Isabela Santos

O que é?

Se você só escuta falar sobre a tireoide e não sabe o que é nem como funciona, nós explicamos: ela é uma glândula que está localizada na região interior do pescoço. A glândula é super-importante para
o organismo, porque é ela que produz hormônios que são como um combustível para o corpo todo funcionar. É por este motivo que qualquer disfunção geralmente é percebida com facilidade, já que pode causar uma série de alterações na sua saúde.

De mãe pra filha

As alterações na tireoide são comuns em mulheres jovens, mas podem aparecer em qualquer idade. A genética também é importante! Se a sua mãe ou irmã tem, as chances de você ter são grandes. Ficou preocupada e quer descobrir se a sua tireoide está ok? Procure já um especialista! O ideal é fazer consultas e exames periódicos. Caso tenha algumas sintomas como o emagrecimento excessivo e hiperatividade, fique bem atenta, isso pode indicar o hipertireoidismo. Já aumento constante de peso, grande dificuldade em emagrecer e cansaço extremo podem estar relacionados ao hipotireoidismo.

Hiper x Hipo

Existem dois tipos de disfunção: o hipertireoidismo e o hipotireoidismo. Na hipo a glândula funciona menos, o que deixa as pessoas com sobrepeso e dificuldade de emagrecer, cansadas e com sono. Já no hiper é o inverso. A glândula funciona mais, a pessoa tende a ser bem magra e agitada. Existe um processo até conseguir controlar isso, é por isso que é importante buscar um médico. Os tratamentos são feitos com medicamentos ou suplementos para controle dos hormônios. Em alguns casos, tipo quando há nódulos na tireoide ou câncer, deve ser feita uma análise que verifique se há necessidade de uma cirurgia.

#dica

Caso o mau funcionamento da tireoide não seja percebido, a sua saúde pode correr perigo. Existe a tireotoxicidade, que é uma alteração grave da tireoide que pode gerar uma série de distúrbios, deixando o seu organismo bagunçado. Sem contar que o mau funcionamento da tireoide pode também afetar outros órgãos. É por isso que é tão importante manter os exames em dia e consultar um médico – endócrino e ginecologista – regularmente. E aí, já fez a sua consulta?

Revista Atrevida / Edição 253

Você reclama de cólica todo mês? Então, fique esperta! A dor pode ser indício de uma doença chamada endometriose

Texto por Aline Marchiori | Foto: Pinterest / Reprodução

Cólica

Foto: Pinterest/Repriodução

Sabe aquela dor forte que você sente todo mês no abdome? Ela não é uma cólica qualquer e pode ser sinal da endometriose, uma doença que precisa ser tratada. Não sabe o que é? Explicamos tudo tim-tim por tim-tim agora!

Não é normal

Se todo mês você sentedor pélvica ou cólicas fortíssimas, procure já um médico. Ao contrário do que algumas pessoas dizem, isso não é normal e pode ser sinal da endometriose, uma doença inflamatória crônica que acontece quando a menstruação ocorre fora do útero. Com isso, alguns órgãos podem ficar comprometidos, como trompas, bexiga, ovários e até o intestino. Ela começa a se manifestar
ainda na adolescência e, na maioria dos casos, a genética influencia muito. Portanto, se alguém na sua família tem endometriose – principalmente sua mãe ou irmã – você tem chances de ter também. Então, todo cuidado com a sua saúde é pouco! Este é um dos principais motivos pelos quais é tão importante ir ao médico e fazer exames regularmente.

Fique de olho!

Um dos principais sintomas da endometriose é a cólica menstrual, que pode surgir nas primeiras menstruações, e à medida que o tempo passa, elas vão piorando. O fluxo intenso, associado a sintomas de dor lombar, dor ao evacuar durante o ciclo e até infecções urinárias, também pode estar relacionado à doença. O diagnóstico deve ser feito por um médico que analisará os sintomas e pedirá exames de imagem, como a ressonância, ultrassom e exame de toque.

Chega de sofrência

Se descobriu que está com endometriose, fique tranquila, pois existe tratamento. Ele deve ser iniciado o quanto antes para evitar problemas futuros, que podem ser desde invasão da doença em órgãos como intestino, trompas e ovários, evoluindo até a esterilidade.

O tratamento quase sempre é iniciado com medicamentos hormonais à base de progesterona, anti-inflamatórios, e orientações alimentares para ingestão de derivados de vitamina B6. Se a doença já estiver avançada, pode ser o caso de uma cirurgia com mínima invasão, feita com pequenos furos para removê-la.

Basta o tempo mudar que a sua garganta coça e o nariz fecha? Isso pode ser sinal de doença respiratória. Descubra em qual se enquadra e como cuidar para respirar sem problemas!

Texto Nathália Henrique / Foto: Shutterstock

Respire melhor!

Foto: Shutterstock

Asma

O que é?

É uma doença inflamatória que causa um estreitamento nos canais de ar do pulmão. Quando os músculos que envolvem os brônquios contraem, a respiração fica difícil.

Como surge?

Ela pode atingir pessoas de todas as idades, porém, é mais comum que o diagnóstico seja apontado ainda durante a infância, quando a criança apresenta dificuldades para respirarem diversas situações. Alguns fatores, como fumaça de cigarro, gripes, poeira, ar poluído e prática de exercícios físicos de alta intensidade, podem desencadear a crise.

Como tratar?

Asma não tem cura. Por isso, é necessário um médico para monitorar o uso correto dos remédios que ajudam a controlar as crises. É importante também identificar as razões para o aparecimento do problema.

Rinite

O que é?

É uma reação do corpo quando alguma substância estranha é inalada. Quando isso acontece, o organismo impede que esse ar absorvido chegue até os pulmões, causando a irritação nasal. Os principais sintomas da doença são: coceira, espirros frequentes, coriza e nariz entupido. Ninguém merece, né?

Como surge?

As causas da rinite estão relacionadas ao ambiente. A poeira, o pólen e alguns alimentos, como ovo, chocolate e frutos do mar, são capazes de piorar os sintomas, pois aumentam a produção da mucosa nasal.

 

Como tratar?

 

Procure um médico para indicar os remédios para prevenir e aliviar os sintomas. É importante também que a sua casa esteja limpa e arejada. Ah! Tente evitar contato com animais com muitos pelos, pois isso pode fazer mal à saúde. 

Bronquite 

O que é?

É uma inflamação dos canais que conduzem o ar até os pulmões. A tosse e o chiado durante a respiração são os principais sintomas da bronquite. A doença pode ser aguda ou crônica, sendo que a primeira crise dura entre uma ou duas semanas, e a segunda se manifesta por cerca de três meses.

Como surge?

Geralmente é causada a partir do contato com substâncias tóxicas e poluentes, como um cheiro forte de tinta e a poeira. A complicação de uma gripe ou resfriado também pode manifestar a doença.

Como tratar?

Procure um médico e siga suas orientações quanto aos medicamentos. É importante descansar, hidratar o corpo e fazer o uso devaporizadores de ar para aliviar os sintomas. A inalação também pode ajudar no alívio da crise.

Faringite

O que é?

É uma inflamação na garganta que pode causar dores, febre alta e calafrios. Em alguns casos, o desconforto pode ser mais intenso em um dos lados do pescoço e pode até causar incômodo na hora de engolir os alimentos.

Como surge?

A faringite está associada à contaminação por vírus e bactérias presentes no ar. Consumir bebidas muito quentes ou entrar em contato direto com produtos químicos também pode desencadear o problema.

Como tratar?

A medicação indicada costuma ser utilizada em um período de 5 a 10 dias. Por isso, vá ao médico para que ele receite o tratamento correto. Durante este período, faça repouso, hidrate o corpo e proteja-se em dias frios. Se o tempo estiver seco, umidifique o ar da sua casa para aliviar os sintomas da doença.

Revista Atrevida / Edição 255

Que tal adotar uma vida mais leve sem sair do celular? Difícil? Que nada! Vem ver!

Selecionamos perfis no Instagram cheios de receitinhas inacrês para deixar o seu lanche saboroso e ainda mais saudável. Confira as dicas! 

Amábile Kolenda | @AmabileKolenda.
Dá pra ser saudável comendo hambúguer e vários doces delícias? Claro que dá! É isso que a gastróloga Amábile mostra em seu Insta. Nas suas receitas, que vão desde sorvetes sem lactose a tortas e hambúrgeres, ela mostra que dá pra se beneficiar dos alimentos.


(Foto: Reprodução)

Rafaela Ramallo | @RafaelaRamallo.
A Rafa é chef de cozinha e, em sua página, dá dicas para conseguir montar pratos tão coloridos, saudáveis e saborosos quanto os dela. Um almoço desses é para matar qualquer mãe de orgulho!


(Foto: Reprodução)

Niki Verdot | @Blogvidasaudavel. 
Cansada de brigar com a balança, a girl criou um blog e um Instagram nos quais divide os seus hábitos. Ela já ensinou a fazer muffin de chocolate, waffle, bolos, enfim, coisinhas fáceis e que vão matar a sua fome no meio da tarde ou no intervalo da escola. 


(Foto: Reprodução)

Su Cavalli | @Intolerantes. 
Você tem intolerância a glúten e lactose ou resolveu cortá-los do seu cardápio? Não importa qual seja a resposta, no perfil Intolerantes você vai encontrar receitas próprias para quem está nessa. Tem pão de queijo, crepe de chocolate, enfim, coisas que você jamais imaginou que poderiam ser feitas assim! 


(Foto: Reprodução)

Patrícia Davidson | @Patriciadavidsonhaiat. 
A girl é nutricionista e cuida da dieta de celebs como Bruna Marquezine, Giovanna Lancelotti e Jade Seba, ou seja, sabe bem do que está falando. No Insta, a nutri dá dicas sobre alimentação e receitas funcionais de coisas que você adora, como a Nutella - sim, você não precisa abandonar esse vício! 


(Foto: Reprodução)

Quer ficar sempre informada sobre saúde, corpo, moda, beleza e muito mais? Garanta já a Atrê de novembro clicando aqui - a de dezembro chega logo logo! 

Sabe aquelas dicas que você escuta desde criança de cuidados com as unhas? Descobrimos quais são mitos e verdades. Se liga:

Por Aline Marchiori | Foto Reprodução/Instagram 

Usar esmalte vermelho deixa a unha amarelada?Os esmaltes escuros em geral deixam as unhas amareladas. É que para ter esse tom, eles utilizam mais pigmentos e isso pode amarelar as unhas. O ideal é usar uma base antes de aplicar o esmalte e intercalar o seu uso com os clarinhos.


Pintar a unha ao ar livre dá bolinha no esmalte?
O que dá bolinha é o excesso de calor do dia ou das mãos. Esmaltes velhos também causam bolinhas, porque os óleos dos pigmentos não estão mais tão bem incorporados.

Manchinhas brancas nas unhas significam falta de vitaminas?
Aham, achou que era mito, né? Mas a sua vó está certinha! Procure um dermatologista, pois pode ser sinal de problema de fígado ou rim. #OMG

Esmalte escuro fortalece a unha?
A fórmula do esmalte escuro é a mesma do claro. O que fortalece as unhas mesmo são as bases fortalecedoras.

Lixar as unhas errado as faz ficarem quebradiças demais?
Se lixar muito os cantinhos elas ficam finas e podem quebrar.

Spray secante enfraquece as unhas?
Ele não traz problema algum. O cuidado quese deve ter é na hora de passar, pois se colocar perto da unha pode causar bolinhas no esmalte.

Tirar a cutícula faz mal?
A cutícula é uma proteção natural da pele e evita micoses e a entrada de bactérias. Quanto mais você tira, mais ela nasce e mais grossa fica. Uma boa dica é empurrar com palitinhos e com a ajuda de cremes hidratantes.

Colocar cravo na base de unhas a deixa mais potente?
Muitas meninas fazem isso, mas não existe nada que comprove a eficácia. Essa ideia vem do óleo de cravo que se usa para fortalecer a unha. O cravo é rico em óleos essenciais, é anti-inflamatório, antiparasitário e antifúngico,por isso é tão querido para as unhas,portanto, mal não faz! Se você quiser apostar nessa, coloque seis cravinhos dentro da base e espere 24 horas para usá-la.

Tenho de deixar as unhas sem esmalte por um tempo?
Os pigmentos do esmalte vão manchando as unhas com o tempo. O ideal é deixar as unhas,no máximo, por uma semana sem esmalte para elas ficarem mais fortes.

Quem deu as dicas: Amarilis Mariano, manicure Top Beauty

Revista Atrevida | Ed. 247 

Não tem nada mais chato do que ficar com coceira. Se ela for nas “partes íntimas”, nem se fale. Essa irritação pode ser sintoma da candidíase e ela precisa ser tratada. Vem cá descobrir como!

Chega de coceira!
Está com uma coceira muito chata, que tem sido acompanhada de corrimento branco ou esverdeado ou forte ardor na vagina? Então é hora de ligar o alerta, pois tem algo de errado com o seu corpitcho! Esses são os sintomas da candidíase, uma infecção causada por um fungo chamado Candida sp. Ao contrário do que muita gente pensa, ela não é considerada uma doença sexualmente transmissível, mas a relação sexual pode ser um fator facilitador para a infecção. Outro fator que pode provocar o aparecimento da candidíase é o calor. É por este motivo que no verão o número de garotas com a infecção cresce, já que há o aumento da temperatura da região vaginal e da transpiração. Ou seja, com o calor chegando, é melhor se cuidar desde já e evitar alguns hábitos que, mesmo sem que você perceba, se tornam um prato cheio para que o fungo se prolifere e traga a coceira.


Fique Atenta!
Qualquer pessoa pode ter candidíase, mas o índice é maior em mulheres, por apresentarem um ambiente genital mais adequado para a proliferação do fungo. Algumas condições, como baixa imunidade, estresse e uso de antibióticos para tratamentos de outras infecções, também podem colaborar para que o fungo se manifeste. Ah! A alimentação também deve ser controlada. O aparelho digestório pode conter o fungo, e isso auxilia na sua disseminação na área genital. Para melhorar a imunidade e diminuir as infecções, o correto é ter uma alimentação saudável e equilibrada. O diagnóstico é feito pelo ginecologista, que consegue detectar a candidíase com as informações dadas pela paciente e o exame físico. Em alguns casos, também é necessário o exame da secreção vaginal, que é colhida em laboratório. Caso seja diagnosticada com o fungo, keep calm, o tratamento é tranquilo. Ele pode ser tratado à base de antifúngicos via oral e local. A única exceção é para os casos de meninas que possuem doenças que podem diminuir a imunidade, como diabetes, as que fazem uso de corticoides, etc. Nestes casos, o tratamento da candidíase deverá ser prolongado.

É melhor previnir...
A boa notícia é que dá para evitar a candidíase mudando apenas alguns hábitos no seu dia a dia. Viu só? Bem mais simples do que você imaginava! Aposte em sabonetes neutros na hora do banho, evite ficar com biquínis molhados (o ideal é levar sempre outra opção para a piscina ou praia e trocar após entrar na água), tente dormir à noite sem calcinha para facilitar a ventilação da área, não utilize absorventes de uso diário que podem abafar a região, evite calcinhas de tecidos que não sejam de algodão, tenha hábitos de higiene saudáveis e cuide sempre da sua alimentação. Seguindo à risca todos esses cuidados, você não só vai se livrar da candidíase como vai poder curtir o verão (e todas as outras estações) sem neuras, e o melhor, sem coceira nenhuma!

Mande suas sugestões para as próximas matérias da Atrê em: atrevida@escala.com.br 

App traz ferramentas que ajudam a organizar a rotina do ciclo menstrual e permite criar “memes” divertidos durante a TPM

Veja a Galeria

Saiba tudo sobre saúde íntima e sinta-se mais segura e confiante no dia a dia!

Ter secreção é natural
Verdade: A própria vagina e o colo do útero produzem fluidos considerados como secreção natural da mulher. Mas atenção: só é normal desde que seja incolor, branco-amarelado, sem odor acentuado e que não cause coceira ou ardência. Caso contrário pode ser sinal de inflamação ou infecção. Notando alguma alteração, procure o seu ginecologista.

Os cuidados com a higiene íntima devem ser redobrados durante a menstruação
Verdade: Carregar lenço umedecido na bolsa, para uma possível emergência, e trocar o absorvente a cada quatro horas, mesmo em dias de menor fluxo menstrual, para evitar a proliferação de microrganismos são cuidados importantes para o período menstrual.


(Foto: Reprodução)

É permitido o uso de sabonetes específicos para a região
Verdade: Podem ser usados diariamente. A principal diferença dos sabonetes íntimos em relação aos outros sabonetes está no pH. Os sabonetes comuns têm o pH mais alcalino e podem agredir a camada protetora da pele, causando irritações, enquanto os sabonetes líquidos íntimos têm o pH ácido, entre 3 e 5, o que para a região íntima é considerado ideal, pois preserva a proteção natural da pele.

Usar lenço umedecido para se limpar é melhor do que papel higiênico
Verdade: Limpar a vagina com lenços umedecidos ao invés de papel higiênico evita que possíveis resíduos fiquem na área íntima, porém é importante secar a região suavemente. 

Utilizar protetor diário pode desencadear infecções
Mito: Existem modelos diferentes de protetores higiênicos, entre eles produtos adequados para o uso diário, que são feitos com material respirável, que não abafam e nem alteram a condição natural da região íntima. Sendo assim, se usado da maneira correta, seu efeito é justamente o contrário: ele ajuda a prevenir possíveis infecções normalmente causadas pela umidade que pode ficar na calcinha, pois absorve a transpiração diária natural e neutraliza possíveis odores da área íntima. 

Quem deu as dicas: Especialista ginecologista, professora da EPM - UNIFESP* e membro da FEBRASGO*, Prof. Dra. Zsuzsanna Di Bella.