Não tem nada mais chato do que ficar com coceira. Se ela for nas “partes íntimas”, nem se fale. Essa irritação pode ser sintoma da candidíase e ela precisa ser tratada. Vem cá descobrir como!

Chega de coceira!
Está com uma coceira muito chata, que tem sido acompanhada de corrimento branco ou esverdeado ou forte ardor na vagina? Então é hora de ligar o alerta, pois tem algo de errado com o seu corpitcho! Esses são os sintomas da candidíase, uma infecção causada por um fungo chamado Candida sp. Ao contrário do que muita gente pensa, ela não é considerada uma doença sexualmente transmissível, mas a relação sexual pode ser um fator facilitador para a infecção. Outro fator que pode provocar o aparecimento da candidíase é o calor. É por este motivo que no verão o número de garotas com a infecção cresce, já que há o aumento da temperatura da região vaginal e da transpiração. Ou seja, com o calor chegando, é melhor se cuidar desde já e evitar alguns hábitos que, mesmo sem que você perceba, se tornam um prato cheio para que o fungo se prolifere e traga a coceira.


Fique Atenta!
Qualquer pessoa pode ter candidíase, mas o índice é maior em mulheres, por apresentarem um ambiente genital mais adequado para a proliferação do fungo. Algumas condições, como baixa imunidade, estresse e uso de antibióticos para tratamentos de outras infecções, também podem colaborar para que o fungo se manifeste. Ah! A alimentação também deve ser controlada. O aparelho digestório pode conter o fungo, e isso auxilia na sua disseminação na área genital. Para melhorar a imunidade e diminuir as infecções, o correto é ter uma alimentação saudável e equilibrada. O diagnóstico é feito pelo ginecologista, que consegue detectar a candidíase com as informações dadas pela paciente e o exame físico. Em alguns casos, também é necessário o exame da secreção vaginal, que é colhida em laboratório. Caso seja diagnosticada com o fungo, keep calm, o tratamento é tranquilo. Ele pode ser tratado à base de antifúngicos via oral e local. A única exceção é para os casos de meninas que possuem doenças que podem diminuir a imunidade, como diabetes, as que fazem uso de corticoides, etc. Nestes casos, o tratamento da candidíase deverá ser prolongado.

É melhor previnir...
A boa notícia é que dá para evitar a candidíase mudando apenas alguns hábitos no seu dia a dia. Viu só? Bem mais simples do que você imaginava! Aposte em sabonetes neutros na hora do banho, evite ficar com biquínis molhados (o ideal é levar sempre outra opção para a piscina ou praia e trocar após entrar na água), tente dormir à noite sem calcinha para facilitar a ventilação da área, não utilize absorventes de uso diário que podem abafar a região, evite calcinhas de tecidos que não sejam de algodão, tenha hábitos de higiene saudáveis e cuide sempre da sua alimentação. Seguindo à risca todos esses cuidados, você não só vai se livrar da candidíase como vai poder curtir o verão (e todas as outras estações) sem neuras, e o melhor, sem coceira nenhuma!

Mande suas sugestões para as próximas matérias da Atrê em: atrevida@escala.com.br