Assine

Lucas Silveira, vocalista da Fresno e Karen Jonz, multicampeã de skate, encararam a aventura e contam como foi a experiência

Tirar férias e ir viajar é sempre um momento especial, mas muitas vezes faltam ideias para inovar no roteiro e não se frustrar ao perceber que poderia ter pesquisado um lugar mais bacana. E foi exatamente o que Lucas e Karen fizeram! O casal teve a oportunidade de passar uma semana na UCPA (União Nacional dos Centros de Esporte ao Ar Livre, na sigla em francês) de Val Thorens, nos Alpes Franceses

É ainda mais incrível para quem é apaixonado por esportes como esqui e snowboard, visto que a estação foi nomeada a melhor do planeta pela World Ski Awards. 

E se você está achando que o lugar é inacessível, Lucas conta não é bem assim: “O brasileiro tem a impressão, quando ouve ‘alpes franceses’, que o lugar é de um refinamento inalcançável, digno de artistas de Hollywood. Nossa estada em Val Thorens mostrou que sim, o cenário é de cinema, mas a estação é frequentada por todo tipo de público, de todas as tribos e origens. Creio que isso é o que faz ela ser o que é."


Foto: Divulgação/Biarritz Turismo.

Além da oportunidade de curtir a paisagem e os esportes, a estação é acolhedora e surpreende com a gastronomia local, além de festas que rolam ao ar livre. 

“Tudo é muito seguro e acolhedor. Já estive em outras estações nos Estados Unidos, mas é incomparável. Val Thorens é gigaaaante! E as paisagens são maravilhosas. A sensação de estar na maior estação de esqui do planeta é de tirar o fôlego”, comenta Karen.


Foto: Divulgação/Biarittz Turismo.

E aí, vai encarar? 

*O casal viajou a convite da Biarritz Turismo, acompanhados por Véronique Buisson Masi, conselheira do turismo francês. Conheça mais em: http://bit.ly/1DTgBGt.

 

A Carol viajou para os EUA em vez de ter uma festa de 15 anos. Apaixonada pelo país do Mickey, ela voltou para cá determinada a retornar, mas não foi fácil convencer sua mãe. Conheça a história dela!

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

 “A ideia de fazer intercâmbio surgiu quando eu tinha 14 anos; enquanto todas as minhas amigas falavam da famosa festa de debutante, eu sonhava com meu intercâmbio, e já pesquisava sobre isso todos os dias. Ao falar para minha mãe que eu queria fazer intercâmbio, ela praticamente pirou e me disse que jamais me deixaria ir assim tão nova. Mas ela acabou deixando eu trocar a festa tradicional de debutante por uma viagem para a Disney, que foi superlegal!

Eu amei tanto a viagem que quando voltei, estava apaixonada pela ideia de passar um ano no exterior me aventurando, aprendendo novas coisas e vivenciando a cultura americana no dia a dia. Passava dias incansáveis vendo diários de intercâmbio, lendo blogs (até apresentação no Power Point eu fiz para tentar convencer meus pais!), e um dia, finalmente, consegui.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Peguei a última vaga disponível na agência, como diz a tão famosa expressão “aos 45 do segundo tempo”. A partir daquele momento, percebi que meu sonho se tornaria realidade. Meu intercâmbio nos Estados Unidos não podia ter sido melhor, faria tudo novamente. Claro que no começo foi difícil para me acostumar com a ideia de estar sozinha em um país desconhecido, sem meus pais, meus amigos, enfim, tudo que antes era minha rotina passaria a ser uma saudade.

Aprendi tantas coisas, vivi em um mundo surreal, onde tudo que eu imaginava se tornou realidade: pude desfrutar o Halloween (dia das bruxas), o Thanksgiving Day (dia de ação de graças), a neve, um típico Natal americano, uma escola no estilo dos filmes que assistimos aqui, e uma família que me acolheu de braços abertos. Não tenho palavras para descrever o quão agradecida eu sou pela “host family” que me acolheu por lá, eles foram sem dúvida a melhor parte da minha nova vida. Eles me abriram um novo horizonte, sou realmente muito agradecida.

Quando cheguei ao Brasil, percebi que tudo estava tão diferente, mas ao mesmo tempo tão igual ao que eu tinha deixado. Na verdade, quem havia mudado tinha sido eu. Aprendi a me virar, que nem tudo é do jeito que nós queremos e que às vezes temos que abrir mão de algo para não afetar quem nós gostamos. Quando eu quis me aventurar em tal experiência, imaginei que o maior dos meus ganhos seria a fluência no inglês, mas hoje eu percebo que isso só foi uma consequência. Se tiver a oportunidade de fazer uma viagem assim, agarre-a com todas as suas forças e desfrute o máximo!”

As coisas mais legais
- Fiz amizade com pessoas da minha idade de vários lugares do mundo e aprendi sobre a cultura de cada um deles.
- Participei de esportes na escola e vivenciei como é estar em um time.
- Vi neve pela primeira vez.

... E uma coisa chata
- Senti muita falta da minha família. De lá, vi fotos da minha família toda reunida no Natal e senti que tinha ficado de fora. Mas neste ano vou ficar bem ao lado deles!

Agradecimento: Experimento Intercâmbio Cultural (www.experimento.org.br).

Fique atenta nas dicas da Atrê e arrase na viagem mais esperada do ano

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

1- Planeje com os seus pais os gastos que terão durante a viagem. Inclua nos seus planos as compras, gastos no hotel, alimentação e, é claro, as festas para não ficar no aperto depois, ok?

2- Tome cuidado com o peso da mala, você só pode levar uma bagagem pesando até 15 kg. 

3- Ao fazer a lista de coisas para colocar na mala, não se esqueça dos seguintes itens: biquíni, shorts, bermudas, camisetas, regatas, agasalhos, tênis, chinelos, bonés, óculos de sol, protetor solar, material de higiene pessoal e medicamentos específicos. 

4- Identifique sua bagagem a ser despachada com a etiqueta da operadora que está organizando o embarque. Não se esqueça de colocar uma etiqueta com o seu nome também. 

5- Se possível, procure fechar suas malas com cadeados ou lacres e leve objetos de valor e dinheiro na bolsa de mão. 

6- Antes de marcar a sua viagem, procure pesquisar mais sobre a agência e tente conversar com alguém que já foi antes pela mesma companhia. Se sinta totalmente segura antes de fechar qualquer coisa, combinado?

7- Quando estiver viajando, combine pontos de encontro com as suas amigas, caso alguma de vocês se perca do resto do grupo. 

Agradecimento: Forma Turismo

Você pode até não ser mais criança, mas todo mundo sonha em ir para a Disney, né? Aproveitando que o Dia das Crianças chegou, a Atrê te conta 5 curiosidades inacrês sobre os parques que a gente tanto ama!

Veja a Galeria

Está com a grana curta para fazer uma viagem à Disney? Dá só uma olhada nas nossas dicas

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Muitas garotas ainda têm o pensamento de que viajar para Disney pode sair muuito caro, o que não é nenhuma mentira, né? Passar as férias nos Estados Unidos exige um planejamento e uma economia grande da nossa parte, mas a Atrê garante: é possível sim economizar e, mesmo assim, fazer uma viagem inacrê para Orlando. Quer ver?

Pacotes de viagem: antes de ir na agência de viagem, verifique se o pacote fechado realmente sai mais barato do que ir viajar por conta própria. Com a ajuda dos seus pais, você pode pesquisar hotel, passagem e transporte sem a ajuda de uma companhia de viagem. Pesquise qual é a maneira mais barata e arrase! ;)

Alimentação: se o seu hotel oferecer serviço de café da manhã, aproveite e só coma por lá. Caso contrário, você pode optar por fazer uma comprinha de lanches, biscoitos, leite e suco e abastacer o frigobar do quarto. Acaba saindo mais barato do que tomar café todo dia em uma cafeteria, por exemplo. 

Se controle nas compras: a gente te entende, girl! Quando você vê todas aquelas coisas incríveis a venda no parque, dá vontade de levar tudinho pra casa, né? Mas é bom manter o controle, ok? Se for levar lembrancinha para os amigos, opte pelos broches que são distribuídos nas lojas gratuitamente. Procure também fazer um orçamento diário do quanto irá gastar nas compras e não o ultrapasse, combinado?

Vai usar internet? Abuse do wi-fi: se você optar por usar o 3G da sua operadora enquanto estiver viajando, vai acabar pagando um absurdo na conta. Por isso, na hora de postar as fotos de sua viagem inacrê no Instagram, corra para o wi-fi. Nos Estados Unidos, você pode encontrar internet gratuita em cafeterias, restaurantes ou até mesmo no próprio saguão do hotel. Na maioria dos parques o wi-fi também é liberado. 

Leve petiscos para os parques: ao invés de gastar com alimentação dentro dos parques, opte por passar em algum mercado e levar petiscos dentro da bolsa. Assim, você não morre de fome e pode beliscar alguma comidinha enquanto anda pelo parque e não vai precisar ficar comprando comida toda hora, o que acaba saindo mais caro. O mesmo serve para a água. Leve a sua garrafinha para os parques e a abasteça nos bebedouros. 

Vai pra NY? Então, dá só uma olhada no nosso roteiro para você arrasar nas compras

Foto: Reprodução/Tumblr

Foto: Reprodução/Tumblr

Você finalmente conseguiu a tão sonhada viagem para Nova York de presente e está com medo de gastar horrores nas compras? Calma! Se você for nos lugares certos é possível comprar coisas inacrês por um valor muuuito baixinho. Quer ver só? 

Macy's
Fundada em 1858, uma das maiores lojas de departamento do mundo reúne muuitas marcas que amamos por um preço muito abaixo da média. São dez andares (sim, DEZ andares) de compras em que você poderá encontrar desde perfumes até roupas e sapatos lindos. Dica: estrangeiros tem direito a 10% de desconto, portanto, não se esqueça de retirar o seu cupom no balcão de visitantes. 

H&M
A famosa grife sueca tem várias unidades espalhadas por Nova York, mas separe um dia para se jogar na loja da Times Square, com DJ ao vivo o dia todo. Por lá, você encontrará calças jeans por até US$ 9! Sério! E o melhor é que a loja fica aberta até às 1h da manhã. Demais!

UNIQLO
A grife japonesa é muuuito barata e vale muito a pena passar por lá. Localizada na 34th Street, a marca é especialista em roupas confortáveis como moletons canguru e calças skinny por até US$ 19. Blazer muuito elegantes podem ser comprados por até US$ 69.

Century 21
Localizada próxima ao Ground Zero, a loja reúne as marcas que mais amamos com até 65% de desconto. A dica é chegar por lá bem cedo e evitar o habitual tumulto das compras. E o melhor é que de manhã você encontrará as coisas mais legais antes de todo mundo!

Woodbury
O outlet gigante reúne grifes chiquérrimas por preços baixíssimos. O centro comercial não fica em Manhattan, e sim a uma hora do centro de NY. Para chegar lá, basta pegar um ônibus que custa US$ 37. Mas vale muito a pena, gente!  

Que tal comemorar os seus 15 anos na cidade mais glamourosa do mundo?

Los Angeles é ou não a cidade mais glamourosa e luxuosa do mundo? Se não for a mais, com certeza está na lista das melhores. Então, se você está pensando em ir para lá nas próximas férias ou como presente em seu aniversário de 15 anos, corre já para anotar as dicas da Atrê!

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Compras
Em Los Angeles, existem muuuitas opções de compras. Se você quer comprar CDs e DVDs. corra para a Amoeba, um verdadeiro shopping exclusivo da música, com itens exclusivos de colecionador. Agora, se você quer se jogar nas roupas, vale muito a pena ir até o outlet de Citadel. Ele fica um pouco afastado da grande LA, mas os preços baixos valem a ida até lá. Você vai encontrar várias marcas inacrês por preços de deixar de queixo caído. Na hora de comprar souvenirs para a família e amigos, opte pela Hollywood Boulevard e suas dezenas de lojinhas de lembranças. 

Museus
Se você curte ir ao museu e ver exposições incríveis, se prepare para jogar nos inacrês de Los Angeles. O Getty Museum é localizado no topo de uma montanha e te proporciona uma vista maravilhosamente linda da cidade. O LCMA é famoso museu de arte de LA e é muito incrível e ideal para quem ama obras de arte. 

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Third Street Promenade e Santa Monica Pier
Você TEM que ir até a praia e fazer várias fotos para o seu Insta no pier de Santa Monica (#instahappy). Ande de bicicleta pelo calçadão das praias, vá até Venice Beach ver os surfistas gatos correndo para o abraço e dê uma volta na roda gigante em Santa Monica. Depois, arrase nas compras na Third Street Promenade, uma travessa inacrê que fica bem pertinho da praia. Lá tem lojas como GAP, Apple Store, Adidas, Zara, entre muitas outras. Nossa dica é almoçar no Johnny Rockets e experimentar o milkshake de Oreo. É muito amor! <3

Beverly Hills
A região é coisa de celebridade, mas é claro que podemos ir lá conhecer e ver as coisas inacrês que têm por lá. Vá dar uma voltinha na Rodeo Drive e coma um doce na deliciosa Cheescake Factory. Por lá, você encontrará lojas como Chanel, Prada, Valentino, Gucci e muuuito mais. Mesmo que for somente para conhecer o bairro, vale a pena a visita. Quem sabe você não esbarra com a Demi Lovato no Starbucks? Hahaha!

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Hollywood e Calçada da Fama
Se quiser conhecer o letreiro de Hollywood de pertinho, se prepare: a subida até o topo da montanha é longa e pode ser um pouco cansativa. Existe a opção de ir até o logo em cima de um cavalo, mas o passeio não deixa de ser cansativo. Se preferir, pode ir de carro, porém você verá o letreiro de longe. Outro passeio bacana na região é a Calçada da Fama, que fica na Hollywood Boulevard. Você pode conhecer também o Teatro Dolby, onde é realizado anualmente a cerimônia de entrega do Oscar. Ele é aberto ao público e tem uma galeria de lojas bem legal dentro. Vale a pena!

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Parques
Existem opções incríveis de parques de diversão ao redor de Los Angeles. Se você curte uma aventura muito radical, pode optar pelo Six Flags e suas montanhas-russas muito radicais. Agora, se você gosta de andar na roda gigante comendo um algodão doce e vendo o pôr do sol, corra para os parques da Disney em Anaheim. A magia de Mickey e seus amigos não deixam de estar presentes em cada momento do lugar. <3

E aí, o que você mais quer fazer em Los Angeles?  

Arrume a mala agora mesmo e #partiuFlorida

Fala sério, gente! As montanhas-russas dos parques na Flórida são de tirar o fôlego de qualquer um. As do Busch Gardens, o parque localizado em Tampa com temática africana, são muuuito radicais. Dá só uma olhada:

Montu

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Tudo começo pelo cenário da montanha-russa, que é toda trabalhada no Egito antigo. Você viaja no brinquedo com os pés soltos e experimenta a sensação  de mergulhar em vários loopings a uma velocidade de 96 km/h. 

Cheetah Hunt

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Imagina se transformar em um guepardo em momento de caça! Esta é a sensação que a Cheetah Hunt te proporciona. O melhor de tudo é que em um segundo você está parado e em seguida é levada repentinamente a uma velocidade de 100 km/h, passa por várias curvas superfechadas e ainda mergulha em uma vala subterrânea de uma altura de 40 metros. Me-do!

Kumba

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Essa é para quem tem estômago. Depois de uma queda muito rápida e um looping de 34 metros de altura, a montanha-russa passar por espirais e curvas superfechadas. Você não para de rodar até o passeio acabar. Demais!

Sand Serpent

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

É uma montanha-russa para quem não tem coragem de enfrentar as curvas de looping das mais radicais, mas se prepare: o brinquedo é repleto de curvas bem fechadas e dá muuuitos trancos, além de ir bem rápido. Veja no vídeo:

Sheikra

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Deixamos o melhor para o final. A Sheikra sobe a uma altura de 61 metros e, na descida, passa por uma queda de 90 graus! OMG! Depois, o brinquedo passa por vários looping, descidas e subidas e até por uma pequena piscina. Você não vai sair seca!

 

Chega de dúvidas! Você vai arrasar na sua viagem aos parques mágicos da Disney

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Qual é a melhor época para viajar?
Para conhecer os parques o ideal é ir entre junho e setembro, ou seja, você tem um ano para se planejar! Esse é o período do verão americano, então será possível aproveitar também os parques aquáticos.

É melhor ir para a Disney em grupo ou com a família?
Depende muito do ponto de vista de cada um. Para quem nunca foi pra Orlando, a viagem em grupo pode ser mais bacana, já que, assim, você vai estar acompanhada de um guia, o que faz toda a diferença.

Posso viajar sem meus pais? O que devo fazer?
Sim, mas para isso você deve providenciar toda a documentação para menores desacompanhados. No site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) você tem todas as informações para conseguir decolar sozinha!

Qual é a diferença de ficar em um hotel dentro ou fora do Complexo Disney?
Dentro do Complexo Disney você poderá desfrutar de todos os transportes para os parques. Outra coisa legal é que os quartos são temáticos e que, dependendo do período, o hóspede tem direito à “hora mágica”, ou seja, você poderá entrar nos parques uma hora antes de abrir para o público ou sair uma hora depois de fechar. Quem fica fora do Complexo escolhe a localização preferida – tanto para ficar mais perto dos parques quanto para ficar mais perto de outros locais de entretenimento, como shoppings. Os quartos de hotéis fora do Complexo, em sua maioria, também oferecem melhor estrutura, como frigobar ou micro-ondas.

Que roupas e sapatos devo levar na bagagem?
É importante colocar na mala roupas leves e sapatos confortáveis, já que a caminhada dentro dos parques dura o dia inteiro. Você pode levar também roupas que sequem com rapidez para passeios em parques aquáticos.

Quanto devo levar para visitar cada parque?
Para alimentação, aconselhamos que você separe em média US$ 50 por dia. Para outros gastos, é importante fazer uma lista do que pretende comprar e pesquisar com antecedência o preço médio de cada item. Assim, será mais fácil ter uma quantia média do gasto durante a viagem.

Preparamos um guia para você arrasar nos parques que ficam na Califórnia

Quer conhecer os parques americanos diferentes da Disney? A Atrê te recomenda os incríveis brinquedos radicais dos parques do lado oeste dos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia. E olha que eles são #bapho! Se joga:

Six Flags Magic Mountain - Valencia/CA

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Curte brinquedos radicais? Brinquedos MUITO radicais? Então, o Six Flags californiano é para você. Corra já pra lá!

O parque é repleto de montanhas-russas incríveis como a Viper, com muitas inverções e um caminho repleto de curvas fechadas, a Goliath, que é suuuuperalta e a X2. O lugar é recomendado para quem tem muuuita coragem e, para quem curte, pode curtir um parque aquático que fica colado no Six Flags.

Para entrar no parque, basta comprar o ingresso no valor de $66,99. Mas o recomendado é comprá-lo online, com até 3 dias de antecedência, ganhando um desconto de $20 por ingresso. O Six Flags Magic Mountain fica em Valencia, a cerca de 50 minutos de Beverly Hills. 

Continue Lendo

Leia a história da Ju, de 16 anos, que foi passar 5 meses no Canadá

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

“É difícil colocar em palavras ou tentar fazer caber em uma página as incontáveis histórias que essa viagem me proporcionou. Tudo começou há pouco mais de um ano, quando meu irmão mais velho sugeriu que eu fizesse intercâmbio e realmente ir aprender um novo idioma. Na semana seguinte fui visitar uma agência especializada e me apaixonei de vez pela ideia. Já comecei a correr atrás de tudo: passaporte, vários formulários e toda a documentação que meu colégio daqui precisava fornecer. Logo soube que ficaria em Nanaimo, uma cidade com 83 mil habitantes na costa oeste do Canadá.

Os últimos meses de 2012 não pareciam suficientes: visto, malas, roupas, ler TUDO sobre intercâmbio e tentar me preparar para ficar cinco meses longe de tudo que eu tinha como meu. O dia que recebi o perfil da família foi quando realmente me dei conta que faltava pouco tempo para partir. A partir de fevereiro eu seria parte de uma família de três crianças – Catherine, de 6 anos, Elizabeth, de 5 anos, e Georgina, que hoje tem quase 7 meses, mas era recém-nascida quando cheguei. Meus hosts eram um casal jovem, Jordan e Virginia. Ah, e a casa também tinha um cachorro: um boxer chamado Rammie!

Despedi-me do Brasil em 1º de fevereiro. Chorei a noite anterior inteira, mas a despedida no aeroporto foi tranquila. Acho que ainda não tinha me dado conta de que só voltaria pra Porto Alegre depois de meses! Cheguei a São Paulo, agora oficialmente sozinha, e então me deparei com outros 40 jovens, a maioria de olhos inchados, tão nervosos quanto eu e na mesma situação.

Chegamos a Toronto, tivemos orientação do programa de intercâmbio e então mais um voo. Estava nervosa e já queria pegar um avião de volta para casa, mas nesse momento encontrei minha host mother, que me deu o abraço que me daria forças pra querer ficar. Minha nova família canadense era demais e eu me aproximei muito deles.

Os primeiros dias foram bem difíceis. Ninguém falava português além de mim, só alguns estudantes brasileiros na cidade. Tive que aprender a me virar. Ganhava carona todo dia de manhã pra escola e depois voltava de ônibus. Eu morava bem no início da cidade e do lado do maior shopping de lá. No início era bem frio, complicado de sair, e eu ainda não tinha feito muitos amigos. Ia pra escola, depois ia ao shopping para socializar um pouco e então pegar o segundo ônibus pra ir pra casa. Chegava perto das 16h e jantávamos mais ou menos uma hora depois disso. Era o tempo que eu tinha pra ligar pros amigos, postar fotos, manter todo mundo atualizado e ficar com a nova família. Conviver com minha host family ajudou bastante na prática do inglês. Nós conversávamos bastante e eles me corrigiam quando eu falava algo errado.

Frequentei uma escola pública canadense e fiz aulas bem diferentes. Durante a primeira metade do intercâmbio fiz as matérias que o MEC [o Ministério da Educação brasileiro] pede para validar o tempo que passei lá e assim poder terminar o ensino médio quando voltasse. Na segunda metade do período que passei no Canadá fiz outras aulas, como Foods and Nutrition (Culinária) e Physical Education (Educação Física), em que tive a oportunidade de jogar 14 modalidades diferentes, tipo softball, futebol americano e lacrosse.

Foram cinco meses inesquecíveis e as pessoas que eu conheci lá ficaram pra vida toda. Foi complicado voltar e eu sinto falta deles todos os dias. No fim das contas, a parte mais difícil foi dizer adeus ao Canadá e voltar para o Brasil.”

Dicas para curtir muuuuito o parque do bruxinho que a gente ama tanto

Imagina andar pelas ruas de Hogsmeade, conhecer o castelo de Hogwarts e comer feijões de todos os sabores com as amigas? No parque do Harry Potter, no Universal Studios, é possível fazer tudo isso, além de dar uma volta inacrê em cima de um hipogrifo. Demais, né?

A Atrê selecionou alguns pontos que não podem ficar de fora da sua visita ao parque do menino bruxo. Dá só uma olhada:

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A réplica do castelo de Hogwarts é igual, gente! Com mais de 50 metros de altura, a escola é aberta aos visitantes, que poderão entrar na sala de Dumbledore, acompanhar uma aula de Defesa conta as Artes das Trevas e até passear pelos salões comunais das casas. A melhor parte fica para o final, quando podemos fazer um voo virtual pela escola. Incrível demais!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Para quem gosta de adrenalina, pode correr para uma batalha entre os dragões do fogo e do gelo. A montanha russa Dragon Challenge é repleta de curvas e looping radicais. Além de ser um brinquedo invertido (onde os trilhos são em cima do carrinho), são dois caminhos diferentes (dragão do fogo ou do gelo) que você pode escolher. Muuuito radical! 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Para quem quer curtir uma montanha russa mais tranquila, pode ir para a Flight of the Hippogriff, um passeio em cima do Bicuço (lembra do hipogrifo no filme Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban?). O brinquedo é bem mais tranquilo que a Dragon Challenge, mas é tão divertida quanto. O mais legal é que, no início da atração, Hagrid dá uma aulinha básica aos visitantes sobre o animal. Demais!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Hogsmeade é o grande centro comercial do parque. Lá você pode comprar praticamente todos os objetos vistos nos filmes de Harry. Camisetas, produtos de quadribol, agasalhos, uniformes, sapos de chocolate, Feijõezinhos de todos os sabores, varinhas mágicas e muuuito mais. É uma infinidade de produtos incríveis para você voltar do parque com muitas lembranças. 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

E é claro que no parque do Harry tinha que ter a réplica exata do Expresso de Hogwarts. A locomotiva está exposta no parque em tamanho real e de tempos em tempos anuncia a chegada de novos visitantes ao parque. Sensacional, né?