Na real / Comportamento / 7 fatos importantes sobre o HPV

7 fatos importantes sobre o HPV

A leitora A.L. aprendeu na escola sobre a vacina contra o HPV, mas tem um montão de outras garotas que não fazem ideia da sua importância. Você é uma delas? Se sim, vem cá, esclarecemos todas as suas dúvidas sobre este vírus!

7 fatos que você precisa saber sobre o HPV

Foto: Shutterstock

1) A sigla HPV significa Human Papiloma Virus. Ele é um vírus que infecta os seres humanos e ataca as células da pele e da mucosa, formando “tumores”, como as verrugas comuns na pele ou as genitais. Porém, quando a área infectada é a mucosa do colo do útero, da vagina, do pênis ou do ânus, o vírus pode formar tumores malignos, gerando câncer de colo do útero e câncer anal. 

2) O HPV é contraído quando há pequenas lesões na pele, como cortes ou arranhões, que permitem a invasão do vírus para dentro do organismo. O sexo sem camisinha é uma das principais causas da transmissão.

3) A maioria das mulheres contaminadas pelo HPV nem sequer desconfia que tenha o vírus. Isso acontece porque os “tumores” (verrugas) não costumam provocar sintomas. Portanto, é necessário fazer visitas frequentes ao ginecologista, pois o diagnóstico da infecção geralmente ocorre pelo exame ginecológico preventivo.

4) Um método de prevenção contra o HPV é a vacina gratuita disponível na rede pública. A vacina quadrivalente protege contra os quatro tipos de vírus HPV mais comuns no Brasil, e é oferecida para meninas de 9 a 13 anos, que é o grupo que mais responde a ela, já que, geralmente, nunca tiveram contato com o vírus. Depois de tomar a vacina, o corpo produz os anticorpos necessários para combater o HPV, assim, caso a pessoa seja infectada, ela não desenvolve a doença, ficando protegida. 

5) A vacina é importante, pois mesmo usando preservativo, a proteção contra o HPV ainda não é 100% garantida, pois a transmissão se dá pelo contato direto com a pele ou a mucosa infectada, o que significa que pode haver contaminação em atividades sexuais mesmo sem penetração.

6) Quanto mais cedo for feito o diagnóstico do HPV, melhor, pois pode-se começar o tratamento logo e a cura é garantida. Há pessoas em que o HPV cura-se sozinho, o que pode acontecer entre quatro semanas a dois anos após a contaminação. Elas não apresentam sintomas, mas podem contaminar outras pessoas enquanto não estiverem curadas. O ideal é que haja o acompanhamento com um médico ginecologista, pois só assim você estará 100% protegida. 

7) Para se prevenir contra o HPV é preciso usar camisinha nas relações sexuais, ter cuidado com o sexo oral e tomar a vacina, que pode ter eficácia diminuída em quem já teve relações sexuais e já pode ter tido contato com o vírus, mas ainda assim é uma boa forma de prevenção.

Quem deu as dicas: Sônia Eustáquia, sexóloga e psicóloga pós-graduada em sexualidade humana



Comentários