Assine

Sem dúvidas, a Demi Lovato é a cantora mais inspiradora #ever! Vem ver 8 vezes em que a diva empoderou outras garotas

Veja a Galeria

Dicas supersimples que vão dar um up na sua autoestima e ajudá-la a se amar mais

4 passos para você se amar mais

Foto: Shutterstock

Muitas adolescentes, quando se olham no espelho, acham que está tudo errado com elas e não conseguem enxergar uma qualidade. Com esse sentimento, vem uma vontade de se isolar do mundo. Não por acaso, quem se sente assim acaba tendo mais dificuldade de se relacionar e até de aumentar o círculo de amigos. #sad

A boa notícia é que, para virar esse jogo e ficar de bem consigo mesma e com os outros, a única coisa de que precisa é força de vontade. “Se algo está ruim na sua vida, a única pessoa que pode mudar essa situação é você. E é bom começar pelo pensamento. Funciona assim: em vez de repetir que com você tudo dá errado, tente pensar positivo. No começo é difícil, mas com o tempo e a insistência, fica automático. E aí, a partir da sua melhora, tudo ao redor começa a ficar melhor também”, ensina a coach de comportamento Caroline Penteado, especialista em relacionamentos.

Na verdade, a Carol está falando sobre a importância de fortalecer a sua autoestima para se tornar mais confiante. E, na prática, isso pode ser mesmo mais complicado do que parece. Por isso, a Atrê consultou especialistas e adolescentes e reuniu, em 4 passos, tudo o que você pre-ci-sa para se amar mais, e, assim, ganhar o mundo. Sim, você pode - e deve!

Encare as dificuldades

A adolescência é uma fase difícil, de transição entre a infância e a vida adulta. A gente começa a descobrir do que gosta e do que não gosta, fica cheia de dúvidas e o pessoal em volta não facilita muito – os pais insistem nas cobranças e os amigos, nas piadinhas sem graça. “É tanta pressão que todo mundo fica um pouco bipolar. Mas o desafio é esse: pensar positivo e ver o lado bom das situações e de você mesma ainda que, do lado de fora, tudo pareça estar conspirando contra”, diz Caroline.

O que ela quer dizer é que a barra de crescer é grande, mas não vai adiantar fazer um drama de novela mexicana com isso. O bacana é se programar para fazer o contrário e levar uma vida mais leve.   

Espante o baixo-astral

Sabe aqueles dias em que você não tem vontade de levantar da cama, quando bate um desânimo geral com a vida e uma preguiça de encontrar as pessoas? É nessas horas que é importante levantar, procurar os amigos e ouvir uma música para dar aquele up no astral. O fundamental é mandar passear logo os seus pensamentos e sentimentos ruins, pra pôr só coisa boa no lugar. Parece difícil? Essa é a receita testada e aprovada pela leitora Ana Sofia*, de 16 anos. “Mesmo quando acordo mal, tento não mostrar isso pra ninguém. Esforço-me para sorrir e, assim, acabo pensando em mais coisas boas, além de atrair pessoas mais alegres. Quando percebo, já estou me sentindo melhor”, explica. Por outro lado, quem não faz esse esforcinho básico e já levanta da cama com cara de pãozinho amanhecido, acaba passando o resto do dia mal-humorado, reclamando de tudo e de todos e, claro, afastando as pessoas legais. E isso é justamente o contrário do que a gente quer, não é?

Faça coisas que gosta

Tente escolher e praticar algumas atividades só por prazer, sem compromisso, para se divertir. “É muito bom ter um hobby, encontrar algo que você goste e que possa fazer sem compromisso. Essa também é uma maneira de se valorizar, de reforçar a autoestima e de melhorar o astral”, indica o psiquiatra Leonard Verea.

Que tal começar aquele curso de fotografia, teatro, dança ou culinária que tanto queria? Quem sabe nessa você não encontra uma atividade que gosta, na qual é boa e dá um up na sua vida? Se estiver insegura, convide uma amiga. Ir acompanhada a esses lugares é sempre mais fácil e ainda mais divertido! E cá entre nós: não tem nada mais legal do que fazer algo diferente com a BFF, não é? Além de aprender coisas novas, vocês podem aproveitar para conhecer pessoas, aumentar o círculo de amizades, e atualizar as fofocas. O importante aqui é nunca deixar que essa atividade se torne uma obrigação. A ideia é fazê-la apenas para se divertir e liberar o estresse.

Não queira só agradar

A partir do momento em que colocou esse pensamento em prática e começou a se preocupar menos com as opiniões dos outros, a leitora Vitória*, de 17 anos, passou a viver bem melhor. Hoje em dia, quando ela fica meio deprê, recorre às BFFs, ou então, quando o problema são os amigos, dá um jeitinho de conhecer gente nova urgente. “Você sempre vai encontrar garotas que têm a ver com você e que vão aceitá-la do jeito que é”, garante.

Então, o segredo é investir no relacionamento com essas pessoas e simplesmente ignorar a torcida do contra. Daí, com o apoio de quem você ama, fica mais fácil seguir adiante, com toda a confiança e carinho do mundo. Não tem jeito, mesmo que você faça algo inacrê, nunca vai conseguir agradar a todas as pessoas. Sempre vai existir os haters que vão criticar e as pessoas que vão elogiar muito. Guarde essa frase como um mantra e não fique encanada em agradar a todo mundo, assim fica mais fácil (e leve!) viver a vida.

Bora colocar esses 4 passos em prática e ser muito mais feliz? 

*Para preservar a identidade das nossas entrevistadas, colocamos apenas o primeiro nome =) 

Selena Gomez e Emma Watson não cansam de nos orgulhar! As girls participaram de uma campanha feminista inacrê

Selena Gomez e Emma Watson participam de campanha feminista

Foto: Reprodução | Instagram

As celebs que amamos estão cada vez mais envolvidas em campanhas feministas. Dessa vez, as lindas Selena Gomez e Emma Watson participaram de uma ação lançada pela organização organização Lean In e gravaram um vídeo incrível sobre empoderamento e fim da rivalidade feminina. 

Além das girls, outras famosas como, as atrizes Lena Dunham e Kerry Washington, também foram convidadas para participar dessa campanha superimportante! Entre diversas mensagens passadas no vídeo uma delas fala que "Nós somos mais poderosas quando empoderamos umas as outras". #faloutudo

A Sel agradeceu todas as grandes e fortes mulheres que trabalham com ela e Emma afirmou que a cineasta Sofia Coppola foi a pessoa que a encorajou para seguir sua carreira de atriz. Fofa, né?

Assista o vídeo: 

Entenderam o recadinho, girls? Vamos nos apoiar juntas <3

Conversamos com 3 celebs que deram dicas inacrês para você encontrar o seu lado girl power. Vem ver!

Como encontrar seu lado girl power? Demi ensina!

Foto: Reprodução | Instagram

Se você acha que só as famosas conseguem o que querem, pode parar já de pensar assim. Conversamos com 3 girls que mandaram um “beijo, não me liga!” para as neuras da adolescência e usaram os momentos deprê como inspiração para encontrar o seu lado girl power e conquistar o que desejavam. E não é que deu certo?

Como superar o bullying

Dá para acreditar que a Carolina Munhóz, que hoje consegue tocar fãs de todo o Brasil (e até do exterior!) com os seus livros, não conseguia se aproximar das pessoas na época do colégio? Pelo seu jeito mais fechado de ser, ela sofreu muito bullying. “Ir para a escola sempre foi o meu maior medo. Eu nunca sabia como seria o meu dia”, revelou a escritora para a Atrê. A solução dos problemas? Ir para a biblioteca!

Não, isso não foi um modo de fugir do que a incomodava, mas sim de conhecer um novo mundo, como o de Harry Potter, que mudou a vida da girl. “Me refugiei nos livros e aprendi que nem sempre as pessoas são boas umas com as outras, mas que, se eu estava sofrendo, precisava aprender a lidar com isso”, lembra a Carol, que preferiu ignorar as brincadeiras maldosas e seguir em frente. Desta forma, ela aprendeu que tudo o que passou fez com que amadurecesse. Para ela, o sofrimento serviu para desenvolver uma vontade maior de lutar pelo que queria. E foi isso que a inspirou a ser uma grande escritora! Hoje, ela conta com quatro livros publicados A Fada, Feérica, O Inverno das Fadas e O Reino das Vozes Que Não Se Calam (este lançado em parceria com a Sophia Abrahão).

Dica da Carol:Acredite em você! Outras pessoas podem acreditar ou não na sua capacidade, mas se você não enxergar o seu brilho, não conseguirá ver as coisas incríveis que pode fazer.”

A escritora Carol Munhóz aprendeu a não dar ouvidos para os haters

e descobriu que era muito feliz em meio aos livros!

Foto: Reprodução | Instagram

Como se aceitar como você é

Os fãs da Kéfera já sabem que a infância e adolescência da girl não foram fáceis. Quem não conhece a youtuber e assiste aos seus vídeos bem-humorados, nem consegue imaginar que ela era alvo de piadas tensas simplesmente por não ser igual aos outros. Ao contrário da Carol, que se escondia na biblioteca, a Kéfera comia o seu lanche no banheiro – isso não acontece apenas em filmes americanos!

Eu me sentia diferente. Via que as meninas bonitas eram magras, tinham o cabelo liso, eram delicadas... E eu sempre fui mais ogrinha, monstrinha, sabe?”, contou a Ké. E ela sofreu horrores até resolver dar um basta nisso! “Vi que não dava para ser assim e que seria sempre infeliz se me baseasse em um estereótipo que não era o meu”, desabafou a girl. Quando a youtuber tomou o controle da situação, percebeu que as pessoas eram bonitas do seu jeito, e que não era preciso muita coisa, apenas ser natural. E vamos combinar que isso ela tira de letra, né?

Dica da Kéfera: Você não precisa ser linda 24 horas por dia para impressionar os outros. Não é preciso se produzir tanto e estar sempre impecável. As pessoas são normais, acordam e têm remela no olho, sabe? E elas são bonitas desse jeito. Há beleza em todos os lugares, só é preciso explorar isso e não as coisas ruins". 

Kéfera já comeu seu lanche no banheiro da escola - mas agora

tira de letra quando o assunto é autoestima!

Foto: Reprodução | Instagram

Como ser você mesma

Por ser toda esportista, a skatista Karen Jonz não passou por situações tensas de bullying, afinal, ela era amiga dos meninos e total da zoeira (espertinha!). E essa proximidade a fez ficar cada dia mais à vontade com os boys, ou seja, não rolava neuras na hora da paquera #umsonho. “No começo era um pouco tímida, mas depois fui ficando atirada. Se estava a fim, eu chegava junto mesmo [risos].
Sempre fui de me apaixonar, nunca ficava só por ficar”, revelou a girl.

Karen Jonz nunca se intimidou na frente dos boys. Ponto pra ela!

Foto: Reprodução | Instagram

Ao contrário de muitas meninas, com a Ka não rolava de tomar um fora e sofrer por dias. Ela contou pra gente que só se lembra de ter sofrido uma vez e só por uma semana - em que ela chorou, comeu muito chocolate e ouviu música triste -, mas aos poucos foi se animando. “Este ditado é bobo, mas nunca me esqueço: tudo passa, até uva passa. Então não encana!”, brincou. Parece que se lembrar sempre deste ditado fez bem para a gata. Além de ser sucesso em cima do skate, a loira também conquistou seu boy dos sonhos: Lucas, vocalista da banda Fresno, com quem tem uma filhinha linda, a Sky!

Dicas da Ka: Seja você mesma. Procure ser legal, fazer o que gosta, respeitar os outros e se esforçar sempre para ser uma pessoa melhor. Acho que quando estamos felizes irradiamos luz própria, e isso atrai pessoas incríveis”. 

Já está mais do que provado: todas somos lindas e nenhuma regra de beleza vai nos colocar para baixo! Para te inspirar, selecionamos 3 movimentos incríveis nas redes sociais que incentivam garotas a se aceitarem. Olha só

Conheça movimentos que incentivam garotas a se aceitarem

Foto: Reprodução | Instagram

"Sou mais eu!" E não tem hater, maquiagem ou gordurinha que façam você pensar o contrário! Duvida? Então conheça os movimentos das redes sociais que incentivam garotas a se aceitarem e mostram o quanto a ideia do amor-próprio está com tudo - e se inspire nas famosas que vão contra as regras da beleza. Porque ninguém é obrigada a ser uma boneca de plástico, né?

#NoMakeUpMonday ou #NMM

Para divulgar a linha de cuidados com a pele, a Devonne By Demi, e incentivar as meninas a gostarem do rosto sem maquiagem, a cantora posta, toda segunda-feira, uma foto de cara lavada. Já mostrou a sua? Só não se esqueça da hashtag para a Demi ver!

#SelfLove

Bastou adotar um estilo de vida mais saudável para que a Kéfera aparecesse mais feliz – e linda! – no Instagram. “Não virei aquelas meninas de academia que postam fotos com hashtag' no pain, no gain'. Sou a favor do amor próprio porque me amo demais agora. E não há sentimento mais maravilhoso do que se olhar no espelho e dizer: ‘não gostaria de ser ninguém no mundo que não fosse eu mesma’”, escreveu a youtuber. Quem também ama as próprias curvas? \o/

Foto: Reprodução | Instagram

#LoveYourLines

O que acontece quando uma modelo da Victoria’s Secret mostra ao mundo que tem estrias como qualquer menina? A internet quebra – e várias garotas se sentem inspiradas a fazer o mesmo, colocando a hashtag do Love Your Lines, que em inglês significa “ame as suas linhas”. Foi isso o que a angel Chrissy Teigen conseguiu ao postar essa foto no Instagram com a legenda: “Estrias, digam oi”. Amamos o bom humor e a atitude da girl!

Foto: Reprodução | Instagram

E aí girls?! Que tal apoiar um desses movimentos? 

Seu namorado adora te controlar e até chega a ser agressivo? Então, fique esperta, por que se você não der um basta nesse namoro abusivo já, a tendência é piorar

5 passos para terminar um namoro abusivo

Foto: Shutterstock

Tá cheio de menina por aí que sofre muito com um namoro abusivo. Não estamos falando do garoto estilo Shrek, que é simplesmente o oposto do romântico educadinho, o genro que todo pai gostaria de ter. Estamos falando de meninos que, por se acharem muito superiores à namorada, vivem humilhando as garotas, fazendo chantagens, levantando a voz ou pior, usando da força física para forçá-las a agir do jeito que eles acham que tem que ser. Se a sua relação com o carinha é de total dependência, e se na maior parte do tempo você fica tensa e triste, em vez de feliz, pensa bem: vale a pena continuar nessa? A Atrê te responde: não, não e não! E ainda ajuda a sair da cilada. Vê só!

Enxergar a real

Preste atenção na forma como ele age, não só com você, mas com os amigos e familiares. Repare se há espaço para diálogo nas relações dele ou se toda vez que algo não sai da forma como ele espera, ele fica agressivo. Foi o que rolou com a Marcelle*, de 21 anos. “Quando conheci o meu ex, ele era carinhoso e prestativo. Com o tempo, as DRs se tornaram constantes e evoluíram para empurrões e puxões de braço”, lembra. 

 

Analisar seus sentimentos

 

Se depois que começou a namorar, sua autoestima não parou mais de despencar, é importante ficar alerta. Pode ser que todo esse baixo-astral seja consequência de como é tratada pelo gato. “Ele me humilhava e me xingava de todos os nomes, para que eu perdesse a cabeça. Chegou a dizer que eu era gorda e fácil, que estava comigo só porque me amava e que eu não conseguiria arranjar mais ninguém se rompesse com ele”, conta Marcelle. E se você está em dúvida se o mesmo acontece com você, a dica é conversar com pessoas de confiança e abrir o seu coração. 

Perceber porque é difícil dar um basta

Algumas garotas demoram pra se tocar que estão vivendo um relacionamento abusivo. Daí, quando tomam consciência da situação, o envolvimento com o gato já é tão grande que elas sentem uma dificuldade em dar um basta nas agressões. Como aconteceu com a Má que, apaixonada, acreditava quando o ex dizia que nunca mais iria agredi-la. Ela se deixava levar pelo sentimento quando ele baixava a guarda, mas a história acabava se repetindo em alguns dias. Além disso, a autoestima dela estava tão baixa que o medo de sair do relacionamento e ficar só era imenso, o que fez que ela aguentasse a situação calada durante vários meses!

Exigir respeito ou deixá-lo de vez

Em alguns poucos namoros, quando a garota encontra forças em si mesma para exigir que o outro a trate com o respeito e o carinho que merece, o menino pode até se tocar e começar a pegar mais leve. Porém, na maior parte dos casos, é difícil conseguir, sozinha, mudar um garoto agressivo. Além disso, poucas meninas têm coragem de se impor diante de um cara desse tipo e a melhor saída na maioria dos casos é mesmo terminar o relacionamento. Agora, mesmo para dar um fora num menino que não costuma levar desaforo pra casa é preciso cuidado. Converse com alguém de confiança sobre o assunto e, assim que decidir terminar o namoro, evite encontrá-lo em lugares que podem oferecer risco a você. Escolha um local público ou com bastante gente em volta e, se preciso, leve algum amigo e peça que ele fique por perto. Durante o papo, não confronte o menino, não fique dando muita explicação, apenas avise que quer terminar e ponto. 

Continuar firme na sua decisão

Por fim, é bom estar pronta para receber uma ligação dele, mais tarde, pedindo desculpas e querendo voltar, com mil promessas de que, a partir de agora, tudo vai ser diferente. Se isso acontecer, não entre na dele e seja firme. “A cada briga a situação piorava. Dei diversas chances para ele mudar, mas não adiantou. Afinal, quem faz uma vez, não necessariamente faz duas. Mas quem faz dez, com certeza fará a décima primeira”, ensina Natana*, 20 anos, que, depois de quatro anos de sofrimento, conseguiu terminar o relacionamento por SMS. #ficaadica

*Os nomes foram trocados para preservar a identidade das leitoras.

Elas também são girls power assim como você! Vem ver 5 famosas que lutam pelo feminismo

Veja a Galeria

Sim! Você pode empoderar a si mesma e aproveitar para influenciar outras garotas. Confira 3 passos superbásicos para ser uma verdadeira girl power!

3 passos para ser uma girl power

Ilustração: Jorge Bin

Está a fim de contribuir para que todas as mulheres sejam verdadeiras girls power? Saiba que, com algumas atitudes que podem ser facilmente colocadas em prática no seu dia a dia, você pode ajudar. E muito! Pra dar o pontapé inicial, que tal começar com 3 passos básicos? Veja só!

#1 Seja mais você

Daí você está assistindo ao seu programa de TV favorito, quando ele é interrompido pelo comercial. Por si só, esse já é um bom motivo pra ficar irritada. Mas como se não bastasse, aparece aquela modelo sem nem um por cento de gordura no corpo correndo de biquíni pela praia, em uma propaganda de filtro solar. Pronto, seu humor já não é mais o mesmo e a sua consciência está pesando uma tonelada por aquela barra de chocolate que você acabou de devorar. Muita calma nessa hora! Pra dizer adeus às suas neuras com o corpo e a aparência, basta você se aceitar como é e, de quebra, ainda ajudar uma amiga a fazer o mesmo.

Assim, você contribui para aumentar a autoestima das garotas e propaga o direito das mulheres de escolherem o tipo de corpo que querem ter, o tipo de estilo que querem adotar na hora de se vestir e tudo o mais. Então começa um círculo virtuoso bem bacana, e quanto mais as garotas passam a se aceitar, mais os padrões de beleza impostos pela sociedade perdem o sentido. A consequência é que mais meninas vão ficando em paz com o próprio corpo, a balança e o espelho. E até vão se sentir mais à vontade para vestir as roupas que gostam, sem dar bola para o medo de se sentirem ridículas ou de alguém “apontar o dedo” para elas no meio da rua. Não é lindo? Ah, mas fique atenta, pois ajudar a best, mas criticar a forma física e o estilo de outras garotas põe todo o seu esforço por água abaixo! 

#2 Pense duas vezes antes de fazer

Admita, gata, você já deve ter ridicularizado ou visto alguma menina ridicularizar um garoto por ele ser sensível, ou pior, pode ter duvidado da masculinidade dele simplesmente pelo fato de o menino ser atencioso com as meninas. É triste, mas ainda rola! E esse é um exemplo clássico e bem claro de quando, sem nem perceber, acabamos passando adiante e reforçando discursos machistas.

E se você não tinha consciência de que esses atos despretensiosos eram tão graves, tudo bem. Afinal, aprendemos a pensar assim desde pequenas e simplesmente reproduzimos o machismo sem raciocinar muito. Fique atenta pra não adotar atitudes que contribuem para reforçar o machismo. Sacou? Nada de dizer que jogar futebol e videogame é atividadede menino, ou que só nós, garotas, temos o direito de gostar de novela ou chorar litros assistindo a um filme romântico e megameloso.

#3 Garotas unidas jamais serão vencidas!

Tá cheio de gente por aí que gosta de afirmar que garotas, na realidade, são inimigas e vivem competindo. Nós sabemos que isso não é verdade, mas que, às vezes, isso infelizmente acontece. A questão é que, enquanto continuarmos vendo as outras garotas como inimigas, não vamos nos permitir aprender, crescer e nos fortalecer. Quando você se abre e se permite enxergar a outra garota como a sua irmã, você tem a oportunidade de descobrir a sua própria força.

Afinal, nenhuma outra pessoa vai entendê-la tão bem quanto uma girl, não acha? Portanto, quebre essa barreira, empodere uma amiga e logo vai se dar conta de que ela é a sua maior aliada na vida.

O feminismo anda supercomentado por aí e é motivo de várias discussões pela web. Mas se você fica meio perdida no meio disso tudo, a Atrê explica!

Veja a Galeria

Vem conhecer a história de meninas que arrasam quando o assunto é feminismo!

 


Garotas ensinam o que é feminismo 

(Foto: Andressa Bezerra com imagens Shutterstock)

#1 Você acha que toda menina pode usar a roupa que quiser sem que falem mal ou bem dela por isso?

#2 Você acha que ela pode escolher a profissão que preferir e que não tem nada a ver isso de “não ser coisa de menina”?

#3 Você acha que meninos e meninas devem fazer as tarefas como lavar louça, limpar a casa ou fazer comida?

#4 Você acha que, se mulheres e homens fizerem o mesmo trabalho, devem ganhar salários iguais?

Se você respondeu "sim" para pelo menos uma das perguntas acima, você é uma FEMINISTA!

Esse quiz é uma versão resumida e adaptada de um teste feito por Cynthia Semíramis, advogada que estuda e defende os direitos das mulheres. Ué, mas é simples assim? De verdade, é. O conceito básico de feminismo é acreditar que homens e mulheres são iguais e devem ter os mesmos direitos, oportunidades e deveres na sociedade. Nos últimos tempos, as discussões sobre feminismo parecem estar em todo lugar. Aí aparece de tudo: gente que fala que o feminismo isso, as feministas aquilo, gente que é contra, a favor, quem ache que agora é modinha ser feminista ou quem diga que não faz sentido mulheres serem feministas hoje. E é normal que a gente se sinta meio intrigada antes de definir se concorda ou não com tudo isso. Abaixo, conheça histórias de garotas e de grupos que existem hoje e, então, decida como quer fazer parte disso tudo.

Tive certeza que ainda tinha motivo de alguém ser feminista quando, depois de um jantar na casa de uma tia, há uns dois anos, uma prima de 30 e poucos anos me chamou para ajudar a lavar a louça e organizar a cozinha. Eu fui na boa, mas perguntei por que ela não chamava meus primos também. Ela me respondeu que era porque eu era mulher e isso não me desceu”, conta Malu O. (15 anos). Ela foi então atrás de aprender mais sobre feminismo e agora faz parte do Coletivo Pagu, organizado pelas próprias alunas do colégio onde estuda, que se reúnem para conversar sobre diversas situações, como algum desconforto que sentiram na escola, em posts de amigos nas redes sociais ou falar do que está ocorrendo no mundo.

Já a música foi o jeito que cinco garotas encontraram de expressar sua busca por igualdade. Aline M. (16 anos), Lídia M. (18), Nataly F. (17), Vitória S. (17) e Ariadne P. (20), se juntaram depois de uma atividade cultural na escola. “Enxergamos nossa arte como a tomada de consciência e nossas composições musicais são uma análise das relações de submissão e violência a que a mulher está submetida. As músicas podem servir para ampliar a discussão sobre o lugar que a mulher ocupa na sociedade”, disseram as meninas em entrevista à Atrê.

Depois de ouvir uma cantada na rua de um homem muito mais velho – e ficar muito desconfortável com isso e com aquele sentimento de medo de responder e acontecer algo pior – que Catharina D. (17), resolveu desistir da sua viagem de formatura e usar a grana que gastaria para criar um aplicativo para celular que ajudasse a mapear os lugares onde ocorrem assédios e cantadas. Foi assim que surgiu o Sai Pra lá, em que qualquer pessoa pode denunciar que sofreu assédio, físico ou verbal. A ideia é que as meninas - e mulheres em geral - não fiquem mais caladas e com vergonha de falar sobre isso.

Elas são incríveis, né? <3

Você fica revolts sempre que seus pais mandam você lavar a louça enquanto o seu irmão joga videogame numa boa? Então, que tal ajudar a mudar essa realidade? Sim, você pode! Fique por dentro do que é o empoderamento das garotas e seja uma girl power de arrasar!


Saiba o que é empoderamento e seja uma girl power!
Ilustração: Jorge Bin

Parece brincadeira, mas, em pleno século 21, as mulheres ainda sofrem com uma série de injustiças simplesmente pelo fato de serem do sexo feminino. Pra você ter uma ideia, de acordo com uma pesquisa realizada pela ONG Plan, que entrevistou garotas de 57 países, incluindo o Brasil, 81% das meninas arrumam a cama, enquanto apenas pouco mais de 11% dos irmãos realizam a mesma tarefa. E não para por aí, não! O mesmo estudo apontou que 76% das garotas ajudam em casa lavando a louça, enquanto apenas 12% dos irmãos colam a barriga na pia para realizar o serviço doméstico. Mas fique calma, girl! A boa notícia é que mudar esse cenário é possível (ufa!). Como? Aderindo de cabeça, corpo, alma e coração aos movimentos de empoderamento das mulheres.

Empodere uma garota! 

Assim como a palavra sugere, empoderar significa “dar poder a alguém”. Até aqui bem simples, né? Mas para você entender melhor, vamos usar a best como exemplo. Funciona mais ou menos assim: dar poder à amiga é o mesmo que dar voz aos sentimentos dela, apoiá-la e acreditar nela.

O resultado dessa atitude aparentemente banal pode ser gigantesco: toda a confiança que você depositou em sua best faz que ela se sinta mais forte para se aceitar e se amar (muito!) do jeitinho que é. “Empoderada, a garota tem a oportunidade de reconhecer que não precisa se encaixar em um padrão. Ela percebe que não existe o corpo ou a garota ideal, mas que pode ser como quiser”, explica Maynara Fanucci, idealizadora da campanha Empodere Duas Mulheres. E ainda tem mais: ao dar poder a uma amiga, você também sai ganhando, afinal, ouve a sua própria voz falando sobre a importância de se valorizar e se amar e acaba empoderando a si mesma!

O movimento de empoderamento das mulheres, que está se espalhando pelo mundo todo, tem muitas outras iniciativas interessantes. Segundo a psicóloga Marianna Romão, especialista em Mulheres, Gênero e Cidadania, ele envolve a luta pelo direito ao próprio corpo, por políticas de prevenção e punição à violência contra a mulher, pela igualdade de oportunidades, pela equiparação salarial, pela instauração de políticas educacionais de igualdade de gênero e de diversidade nas escolas de ensino médio e fundamental e muito mais. 

Adoramos (e apoiamos!) essa iniciativa! E vocês? 

Nas últimas semanas, vimos algumas notícias nada legais sobre o Biel. Precisamos falar por que não podemos concordar com as atitudes dele - mesmo se você for da família baladeira!

 


Por que não podemos concordar com a atitude do Biel

Foto: Rodrigo Takeshi

Ok, confessamos: as músicas do Biel nos conquistaram e, assim como as baladeiras, nós também já passamos dias com os hits do cantor na cabeça, que até já foi capa da Atrê. Porém, mesmo curtindo o trabalho dele, não podemos concordar com suas últimas atitudes.

O cantor foi denunciado por uma repórter do portal IG com a acusação de assédio sexual durante uma entrevista. Assim que o caso veio à tona, Biel negou as acusações e afirmou que tudo não passou de um mal-entendido. "O lobo mau será sempre o vilão se só escutarem a versão da chapeuzinho", escreveu ele no Instagram.

Ele também declarou que tudo foi falado em tom de brincadeira e que ele ainda é muito imaturo para ter atitudes consideradas machistas. “Não consigo entender como não levaram na brincadeira já que a gente tava se tratando de mim, né, cara que perde o amigo, mas não perde a piada. Machista? Nem homem me considero ainda pra ser prepotente ao ponto. Sou um menino, menino que brinca, menino sem papas na língua, menino que sorri”. 

Reprodução | Instagram

Mas a atitude do Biel não foi nada legal! Assim como o exemplo dado pelo próprio Biel, tanto a Chapéuzinho quanto a repórter foram vítimas de diferentes tipos de agressões. Não existem justificativas para a agressão física ou verbal, por isso, não podemos aceitar que tudo foi um mal-entendido.

A “brincadeira” nada mais é do que o assédio de uma forma disfarçada. E muitas mulheres são ofendidas e magoadas com comentários expressados por caras que consideram o assédio verbal como uma forma de brincadeira. Mas, não, isso não é uma brincadeira. E a gente não pode aceitar que esse tipo de coisa aconteça!

Depois de alguns dias, o cantor postou um vídeo pedindo desculpas pelo modo com que tratou a jornalista durante a entrevista e também se desculpando com todas as mulheres que se sentiram ofendidas com suas palavras e prometeu que isso não irá mais acontecer. Assista ao vídeo:

Esperamos que ele realmente tenha aprendido a lição, não é mesmo girls? E que esse tipo de comportamento não se repita, já que assédio não é brincadeira!