Você já ouviu falar em sororidade? Conheça o conceito que está atraindo cada vez mais meninas e mulheres Brasil afora e comece agora a colocar essa ideia em prática!

Por Clariana Zanutto

Sororidade: saiba como colocar o movimento girl power em prática 

Foto: Shutterstock

Há cerca de um ano e meio, quando a jornalista gaúcha Babi Souza, de 26 anos, estava voltando do trabalho para sua casa – ela trabalhava em uma agência bem longe e tinha de pegar dois ônibus para chegar –, percebeu que, quando desceu do primeiro ônibus e teria de atravessar uma praça para pegar o segundo, estava com muito medo pelo simples fato de ser mulher. Analisou a situação e chegou à conclusão de que as mulheres que estavam no ônibus e também teriam de atravessar a mesma praça, não estavam mais à sua volta, mas provavelmente também estavam sentindo o mesmo medo. Foi aí que pensou: “Bah, por que nós não fomos juntas? Por que não me colei em uma delas para irmos juntas, já que o nosso medo é igual, e essas mulheres, com certeza, têm menos medo de mulheres do que de homens na rua?”.

Depois desse clique, ela pediu para uma amiga criar uma imagem explicando a ideia e compartilhou em seu perfil pessoal do Facebook no dia 30 de julho de 2015. O que aconteceu? “Bombou demais, demais, demais, tanto que uma hora depois eu me senti meio que obrigada a criar a página Vamos Juntas. Aí foi outro boom, em 24 horas tinha 5 mil curtidas; em 48 horas, tinha 10 mil. Acabei pedindo demissão, porque sentia que precisava tocar o Vamos Juntas, ele não podia acabar, tinha muitas mulheres precisando dele, e se continuasse trabalhando na agência, não ia conseguir.”

Depois, Babi abriu a sua própria agência, a Bertha Comunicação, uma agência que faz comunicação para marcas de mulheres, e ganhou nome inspirado em Bertha Lutz, uma bióloga brasileira que foi uma das figuras mais significativas do feminismo e da educação no Brasil do século XX. O projeto cresceu tanto que, no início deste ano, ela lançou o livro Vamos Juntas (Editora Record), e também pretende lançar um aplicativo, que já está sendo desenvolvido.

É com o Vamos Juntas que Babi dissemina por todos os lados a ideia de sororidade, ou seja, de irmandade entre mulheres. “Existe a fraternidade, que é a irmandade entre homens, e a sororidade, a irmandade entre mulheres. Nós, mulheres, não precisamos ser rivais como fomos ensinadas. Muitas ainda não perceberam, mas fomos ensinadas a nos odiar e a sororidade é essa ideia de que a gente não precisa disso, de que a gente pode formar uma aliança entre nós”, diz a girl.

Quer entender melhor o assunto? Na #Atrê268 você confere uma matéria incrível sobre sororidade e ainda fica por dentro de dicas para colocar essa ideia em prática. Quer ver? Então, corra para as bancas ou garanta a sua revista pelo site → https://goo.gl/iLjGkb